Apple rejeita acusação de fixação de preço em e-books

sexta-feira, 13 de abril de 2012 08:30 BRT
 

13 Abr (Reuters) - A Apple rejeitou acusações do Departamento de Justiça dos Estados Unidos de que a empresa agiu com editoras na fixação de preços de livros eletrônicos. A companhia afirmou que as acusações "simplesmente não são verdadeiras".

O governo norte-americano processou a Apple e cinco editoras, afirmando que as empresas conspiraram para fixar preços dos e-books. O governo acertou acordos com três das editoras que podem levar a edições mais baratas para os consumidores.

Em email enviado à Reuters, o porta-voz da Apple Tom Neumayr confirmou a posição da companhia, publicada inicialmente pelo Wall Street Journal.

"O lançamento da iBookstore em 2010 incentivou a inovação e a competição, quebrando o monopólio da Amazon sobre a indústria editorial", disse Natalie Kerris, porta-voz da Apple, ao jornal.

Kerris defendeu a atual estrutura de definição de preços como um paralelo à lojas de software da Apple.

"Assim como permitimos que os desenvolvedores definam preços na App Store, as editoras definiram seus preços na iBookstore", afirmou.