17 de Abril de 2012 / às 15:08 / em 5 anos

Oi eleva investimentos e meta de geração de caixa

Por Sérgio Spagnuolo

RIO DE JANEIRO, 17 Abr (Reuters) - Em busca de melhorar o desempenho operacional após sua recente reorganização societária, o grupo de telecomunicações Oi vai elevar investimentos neste ano e projeta um crescimento de ao redor de 45 por cento na geração de caixa até 2015.

Pelo plano revelado pela empresa nesta terça-feira, a operadora espera recuperar sua margem Ebitda -sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação- daqui a três anos para 33,2 por cento.

No quarto trimestre de 2011, dado mais recente disponível, a Oi teve margem Ebitda de 26,4 por cento, prejudicada pela forte concorrência no setor.

Ao mesmo tempo, a Oi espera ter uma alavancagem maior nos próximos anos, à medida que necessitará de recursos para bancar seus investimentos, projetando uma relação entre dívida líquida e Ebtida de 2,8 vezes neste ano, ante 1,9 vez em 2011. Em 2015, o indicador deve ceder para 2,2 vezes.

Às 14h54, a ação ordinária da Oi avançava 3,02 por cento, para 10,92 reais, enquanto a preferencial tinha alta de 3,41 por cento, a 9,10 reais. O Ibovespa subia 1,34 por cento.

Os investimentos devem somar 6 bilhões de reais tanto neste ano quanto em 2015, após quase 5 bilhões de reais em 2011. Não havia informações disponíveis sobre os montantes a serem investidos pela companhia em 2013 e 2014.

A empresa precisa investir em sua rede, ganhar participação de mercado móvel e rentabilizar sua base de telefonia fixa, segundo analistas.

EBITDA MAIOR

A Oi pretende alcançar geração de caixa operacional medida pelo Ebitda de 12,8 bilhões em 2015, cerca de 45 por cento superior à apurada no ano passado -utilizando como base de comparação os dados pro-forma da Oi S.A. para o fechado de 2011.

Para 2012, o Ebitda deve ficar estável em 8,8 bilhões de reais, resultado melhor do que a queda de 15 por cento de 2011 sobre o ano anterior.

A dívida líquida deve ficar em 24,9 bilhões de reais em 2012 e em 28,4 bilhões de reais três anos depois, bem superior aos 16,3 bilhões de reais vistos em 2011.

Já a receita líquida é estimada em 28,9 bilhões de reais em 2012, cerca de 1 bilhão de reais superior à do ano passado, enquanto para 2015 a projeção é de 38,6 bilhões de reais.

As estimativas da empresa foram baseadas em ambiente com crescimento de receita do mercado móvel de 10 por cento ao ano; do mercado residencial de 5 por cento ao ano; e no corporativo de 7 por cento ao ano.

A Oi, maior empresa brasileira de telefonia por cobertura geográfica, atualmente ocupa apenas a quarta colocação do crescente segmento de telefonia móvel, com 18,6 por cento de market share, bem atrás das rivais Vivo, TIM e Claro, segundo dados de fevereiro da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

O anúncio das previsões da Oi, muito aguardado pelo mercado após a simplificação de sua estrutura acionária aceita por acionistas no fim de fevereiro, também inclui a aprovação pelo Conselho de Administração de uma remuneração a acionistas no total de 8 bilhões de reais de 2012 a 2015.

“A política de remuneração aprovada demonstra a confiança da administração da Oi no atingimento de resultados sustentáveis e no crescimento da companhia”, afirmou o grupo, que tem entre os sócios a Portugal Telecom, em fato relevante.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below