Nokia defende estratégia frente a críticas de investidores

quinta-feira, 3 de maio de 2012 11:23 BRT
 

Por Tarmo Virki

HELSINQUE, 3 Mai (Reuters) - Risto Siilasmaa, designado novo presidente do conselho da Nokia, defendeu na quinta-feira a estratégia de recuperação da empresa, antes de uma reunião com investidores que estão perdendo a paciência com os esforços da companhia para recuperar seu atraso no mercado de smartphones.

A Nokia foi derrotada pela Apple e pelo Google na primeira batalha dos celulares inteligentes e agora está depositando suas esperanças de recuperação na nova linha Lumia, que utiliza o sistema operacional da Microsoft.

"Estou confiante de que a Nokia conta com a equipe certa, a estratégia certa e, agora cada vez mais, com os produtos certos no mercado, para que possamos nos sair bem desse período de transição", disse Siilasmaa a jornalistas a caminho da reunião.

As vendas da nova linha de celulares inteligentes da Nokia vêm sendo lentas até o momento, e ainda não compensam a forte queda nas vendas dos produtos anteriores. A companhia também perdeu liderança como maior fabricante mundial de celulares para a Samsung Electronics, no trimestre passado.

Os investidores viram queda de 90 por cento em suas participações na Nokia, nos últimos cinco anos -e dois terços da queda aconteceram depois que o novo presidente-executivo, Stephen Elop, anunciou a substituição do sistema operacional dos celulares inteligentes da empresa pelo Windows, em fevereiro de 2011.

"A situação da Nokia e da Nokia Siemens Network é quase catastrófica", disse o acionista Pekka Jaakkola, na reunião em Helsinque. "A Nokia está lutando contra o tempo".

Jorma Olilla, o predecessor de Siilasmaa, também prometeu uma linha de novos produtos, em entrevista publicada na quinta-feira, em meio a crescente dúvidas sobre a adequação dos produtos da empresa como concorrentes de rivais como a Apple.

No passado visto como herói nacional por ter comandado a transformação da Nokia de conglomerado fabricante de produtos domésticos a maior produtora mundial de celulares, em 1998, Olilla vem sendo criticado nos últimos anos por ter negligenciado o surgimento dos celulares inteligentes.   Continuação...