Hackers derrubam site de organização policial britânica

quinta-feira, 3 de maio de 2012 12:11 BRT
 

LONDRES, 3 Mai (Reuters) - Hackers invadiram o site da agência britânica de combate ao crime organizado (SOCA, em inglês), disse um porta-voz da entidade nesta quinta-feira, no mais recente de uma série de ataques a alvos notórios como Nasa, Vaticano e empresas multinacionais.

A agência policial, considerada a equivalente britânica ao FBI, informou que o site saiu do ar na quarta-feira, após sofrer ataque de fonte desconhecida.

Grupos de ativistas de Internet como Anonymous, LulzSec e Antisec estão relacionados a ataques anteriores contra entidades como o Senado dos Estados Unidos e empresas como Sony e Visa.

Um porta-voz da SOCA disse que não houve perda de informações confidenciais durante o incidente, conhecido como ataque distribuído de negação de serviço (DDoS), uma forma de invasão que derruba o servidor de um site por meio de um bombardeio de pedidos de acesso.

"Decidimos desativar o site às 22h de quarta-feira. Isso foi feito para limitar o impacto do ataque sobre outros usuários hospedados no mesmo servidor", afirmou o porta-voz.

O site contém apenas informações abertas ao público e não oferece acesso a materiais operacionais.

Visitantes ao site da SOCA recebiam uma mensagem de erro de rede, com o texto "Ocorreu um erro de comunicação. Conexão recusada". Não havia informações imediatas quanto aos responsáveis pelo ataque.

A agência, que investiga crimes graves como tráfico de escravos, tráfico de drogas e aqueles que envolvem o uso de armas, fechou no mês passado 36 domínios de Web que estavam sendo usados para vender dados roubados de cartões de crédito.

A organização já havia sido vítima de ataques. Em fevereiro, membros do Anonymous divulgaram a gravação de uma conversa entre agentes do FBI e detetives londrinos, na qual discutiam planos de combate aos hackers.

O ministro britânico Francis Maude alertou esta semana que os Jogos Olímpicos de Londres também devem ser alvo de ciberataques.

(Por Peter Griffiths)