Toshiba vê recuperação com demanda da Apple por chips de memória

terça-feira, 8 de maio de 2012 10:29 BRT
 

TÓQUIO, 8 Mai (Reuters) - Ao contrário de muitas das empresas japonesas, a Toshiba tem motivos para celebrar a disparada nas vendas da Apple, já que milhões dos iPhones que a companhia norte-americana vende portam catões de memória flash NAND fabricados pela maior fabricante de chips do Japão.

Esse boom da Apple ajudará o conglomerado japonês a elevar seu lucro operacional em quase 50 por cento neste ano fiscal -de acordo com as projeções da Toshiba- e a superar os prejuízos causados pela queda na venda de televisores, o que também tem causado deterioração nos resultados da Sony, Panasonic e Sharp.

Há momentos em que até dois terços dos chips de memória produzidos pela Toshiba, a segunda maior fabricante mundial de chips flash NAND, atrás da Samsung Electronics, são utilizados em iPhones, estimam analistas.

"A Apple provavelmente é o maior cliente deles e, dependendo da época do ano em que a Apple buscar a Toshiba, pode responder por até 70 por cento", disse Damian Thong, analista da Macquarie, em Tóquio, antes do anúncio dos resultados da Toshiba.

"O grande fator para o crescimento dos chips flash NAND na Toshiba será provavelmente a aceleração nas compras para o próximo modelo de iPhone", acrescentou.

A Toshiba anunciou na terça-feira uma projeção de lucro operacional anual de 300 bilhões de ienes (3,75 bilhões de dólares), acima da estimativa média de 281,9 bilhões de ienes de 22 analistas consultados pela Thomson Reuters I/B/E/S.

O lucro operacional do ano encerrado em 31 de março foi de 206,65 bilhões de ienes, em linha com as previsões dos analistas.

"A demanda por televisores LCD caiu acentuadamente nos mercados internos", disse o vice-presidente executivo Makoto Kubo em briefing à imprensa, em Tóquio.

Além da receita fraca com televisores, o faturamento também sofreu em função do terremoto e tsunami no Japão, em março de 2011, e das inundações na Tailândia no ano passado, que prejudicaram as cadeias de suprimento, disse Kubo.

O grupo de pesquisa IHS iSuppli calcula que a insaciável Apple, que vendeu 35 milhões de iPhones no primeiro trimestre, consumirá um quarto da oferta mundial de chips de memória flash este ano. O mercado movimentará 23 bilhões de dólares, nas projeções do grupo, alta de 8 por cento.