Receita líquida da Oi cai no 1o trimestre

terça-feira, 15 de maio de 2012 08:43 BRT
 

RIO DE JANEIRO, 15 Mai (Reuters) - O grupo de telecomunicações Oi sofreu uma queda de quase 2 por cento na receita líquida do primeiro trimestre, mas apresentou uma melhora em outros resultados operacionais para o período sobre o mesmo intervalo do ano anterior.

O total de unidades geradoras de receita cresceu 7,2 por cento ano a ano, totalizando 70,8 milhões, puxado pelos segmentos de mobilidade pessoal e corporativo, que avançaram 12,2 e 5,5 por cento, respectivamente, sobre o primeiro trimestre do ano passado.

A companhia apresentou números pro-forma como se a reorganização ocorrida em fevereiro e que simplificou sua estrutura societária tivesse acontecido logo no início do ano.

A geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) avançou levemente, em 1,4 por cento, no primeiro trimestre, somando 2,012 bilhões de reais. Enquanto isso, a margem cresceu 1 ponto percentual, para 29,6 por cento.

Apesar disso, a empresa viu a receita líquida cair 1,9 por cento na comparação anual, fechando o trimestre em 6,802 bilhões de reais.

"A performance da receita está em linha com o cenário previsto no plano estratégico de longo prazo da companhia, considerando que a retomada da trajetória de crescimento se inicia com a melhoria dos indicadores operacionais", disse a empresa em seu balanço.

O lucro líquido consolidado, que equivale a dois meses dos números da antiga BrT somados a um mês após a reorganização de fevereiro, somou 346 milhões de reais, ante 93 milhões nos três primeiros meses de 2011.

A dívida líquida da empresa somava ao final de março 17,4 bilhões de reais, alta de 21,4 por cento sobre um ano antes.

(Por Sérgio Spagnuolo)