HP e Oracle chegam aos tribunais em processo sobre chip Itanium

segunda-feira, 4 de junho de 2012 10:53 BRT
 

Por Dan Levine

4 Jun (Reuters) - Advogados da Hewlett-Packard e da Oracle vão se enfrentar no tribunal nesta segunda-feira, quando começa o julgamento de uma amarga disputa sobre a decisão da Oracle de não mais desenvolver softwares para os servidores da HP que usam o processador Itanium.

O processo, em que a HP pede indenização de até 4 bilhões de dólares, começa poucos dias depois de a Oracle perder uma ação importante contra o Google sobre a tecnologia usada em smartphones.

Nomes importantes, como o presidente-executivo Larry Ellison e o presidente Mark Hurd, ambos da Oracle, e Ann Livermore, membro do conselho da HP, devem depor.

A Oracle decidiu no ano passado suspender o desenvolvimento de softwares para uso com o processador Itanium, alegando que a Intel havia deixado claro que chip estava se aproximando do fim e que transferiria seu foco para os microprocessadores da família x86.

Mas a HP argumenta que a Oracle tinha um acordo com ela para manter o suporte ao Itanium, sem o qual os equipamentos da HP equipados com o chip se tornariam obsoletos.

A HP afirmou que esse compromisso foi reafirmado em um acordo extrajudicial que encerrou o processo anterior contra a Oracle sobre a contratação de Hurd, ex-presidente-executivo da HP. Esta processou a Oracle na Justiça da Califórnia, no ano passado, afirmando que a contratação de Hurd “prejudicava os clientes.

A Oracle afirma que as alegações da HP “não justificam o pedido de indenização e abriu processo contra a companhia por propaganda enganosa, afirmando que a HP não havia revelado ao público os termos do contrato com a Intel.

A decisão da primeira fase do processo, que é concluir se existe contrato entre HP e Oracle e quais são os termos, virá do juiz James Kleinberg, em vez de um júri, disse o porta-voz da HP, Michael Thacker.

Caso o juiz decida em favor da HP, um júri determinará se a Oracle violou ou não o contrato.

Kleinberg comparou no mês passado o processo a um divórcio, dizendo que “o caso parece representar o fim de um casamento entre as gigantes da tecnologia.