ARM se preocupa mais com lentidão da economia do que com Intel

segunda-feira, 4 de junho de 2012 11:11 BRT
 

TAIPÉ (Reuters) - A desenvolvedora britânica de chips ARM Holdings afirmou na segunda-feira que está mais preocupada com a desaceleração da economia mundial do que com os agressivos esforços da rival Intel para ganhar terreno no mercado móvel que a companhia atualmente domina.

"Creio que este ano o maior desafio para o setor como um todo é a economia mundial, que continua a oscilar para cima e para baixo, e os problemas de estabilidade de diversos países", disse Simon Segar, diretor da divisão de processadores da ARM, em entrevista antes da abertura da feira anual de computação Computex, em Taiwan.

"Isso exerce impacto continuado sobre os investimentos, e grande proporção da receita da ARM vem de royalties, que são em larga medida afetados pelos gastos dos consumidores", disse.

Segars afirmou que a estratégia da ARM não mudou em função do lançamento dos chips Intel para aparelhos móveis e que a companhia continua com a meta de manter uma participação próxima de 100 por cento no mercado móvel, além de atingir uma participação de entre 10 e 20 por cento no mercado de PCs, dentro de alguns anos.

A Intel está agindo agressivamente este ano para se expandir no mercado de tablets e celulares inteligentes, uma área que a ARM domina, com seus novos chips Intel Medfield.

A ARM, cuja tecnologia aciona o iPad e iPhone, da Apple, projeta os processadores de baixo consumo de energia usados em quase todos os celulares inteligentes, tablets e outros aparelhos. A ARM licencia sua tecnologia e recebe royalties de alguns centavos de dólar sobre cada chip instalado em aparelhos que variam de celulares a eletrodomésticos e brinquedos.

O segundo semestre verá o lançamento do novo sistema operacional Windows, da Microsoft, o primeiro compatível com a arquitetura da ARM, o que ajudará a reforçar o domínio da companhia britânica sobre o mercado móvel.

Respondendo aos comentários de alguns fabricantes de PCs no sentido de que continuarão a trabalhar de perto com a Intel para lançar tablets equipados com Windows, já que o projeto da ARM para o sistema ainda não está pronto, Segars disse que �desenvolver um produto com a complexidade do Windows 8 é uma tarefa de engenharia nada trivial. "Se demorar mais tempo, está tudo bem para mim."

A ARM anunciou em abril alta de 22 por cento no lucro do primeiro trimestre, cumprindo as expectativas do mercado, ajudada por novos clientes que licenciaram seus chips.