Kuwait condena jovem a 10 anos de prisão por blasfêmia

segunda-feira, 4 de junho de 2012 15:04 BRT
 

KUWAIT (Reuters) - Um tribunal do Kuwait condenou nesta segunda-feira um jovem de 26 anos do país a uma pena de 10 anos de prisão ao decidir que ele colocou em risco a segurança da nação ao ter insultado o profeta Maomé e os governantes sunitas da Arábia Saudita e do Barein em redes sociais, disse seu advogado.

Hamad al-Naqi, mulçumano xiita, afirmou ser inocente e disse que não publicou as mensagens e que sua conta no serviço de microblogs Twitter foi invadida.

A sentença foi a pena máxima que Naqi poderia ter recebido, disse seu advogado, Khaled al-Shatti, à Reuters.

Queixosos civis e alguns políticos do Kuwait pediam que Naqi fosse condenado à morte em um caso que atingiu tensões sectárias no país.