Disney aposta US$1 bilhão em renovação de parque inspirado na Pixar

sexta-feira, 8 de junho de 2012 15:42 BRT
 

Por Lisa Richwine e Ronald Grover

LOS ANGELES, 8 Jun (Reuters) - O parque temático Disney California Adventure em Anaheim, um fracasso desde que abriu em 2001, vai exibir na próxima semana os frutos de uma renovação de cinco anos e que custou 1 bilhão de dólares, e há muito dependendo desse esforço além da venda de ingressos.

A Disney está contando com a reforma do parque para atrair visitantes da Disneylândia para que fiquem um ou dois dias a mais, de preferência em um hotel Disney. Também é uma resposta ao rival Universal Studios, que acaba de lançar um passeio emocionante baseado no filme "Transformers".

Talvez o mais importante, o reformado Disney California Adventure enfatiza a ascensão do chefe criativo da Pixar, John Lasseter, como uma força chave dentro da Disney, como um contraponto imaginativo e exuberante ao chefe-executivo tecnocrata da empresa, Bob Iger.

De fato, com a inauguração na próxima semana de uma área temática chamada Cars Land, o parque está se tornando rapidamente uma Pixarland. Nove de suas 20 atrações baseiam-se em filmes da empresa de animação por computador que a Disney comprou de Steve Jobs em 2006.

A proeminência de Lasseter e da Pixar, assim como o surgimento de grandes franquias como o filme "Os Vingadores", da Marvel, marcam uma grande virada do respeitável conglomerado de entretenimento.

Em sua época de maior sucesso, "a mágica Disney" vinha em grande parte de dentro. A empresa era dirigida por executivos criativos como o próprio Walt Disney e Michael Eisner, um ex-executivo de produção de filmes e televisão.

Agora está contando com empresas que adquiriu para ter personagens e histórias de sucesso e que conduzem tudo, da frequência aos parques temáticos à venda de mercadoria.

"Antes de a Disney comprar a Pixar ela lutava para criar seu próprio conteúdo", disse o analista Michael Morris, da Davenport e Co. "Pixar e Marvel deram muito do impulso criativo que a empresa precisava explorar".   Continuação...