Apple encara Google com sistema de mapas e melhoras no Siri

terça-feira, 12 de junho de 2012 10:54 BRT
 

Por Poornima Gupta e Alexei Oreskovic

SAN FRANCISCO, Estados Unidos (Reuters) - A Apple revelou seu novo sistema de mapas para aparelhos móveis e melhorou as capacidades de busca de seu assistente de voz Siri, levando concorrência a territórios dominados pelo Google.

O presidente-executivo da companhia, Tim Cook, que substituiu Steve Jobs em agosto de 2011, comandou o lançamento dos novos serviços -entre os quais um serviço de mapas próprio, melhoras no software Siri e uma barra de buscas no navegador Safari- como parte de um esforço para conter o Google e sua plataforma Android, que registra rápido crescimento.

A Apple modificou diversos aspectos de seu sistema operacional móvel para convencer mais usuários a se manterem dentro de seu ecossistema. As mudanças marcam um reforço do arsenal da Apple, que busca manter controle pleno sobre seu ambiente de aplicativos e hardware, mantendo vantagem diante de fabricantes de aparelhos equipados com o Android, como a Samsung Electronics.

Mas o ponto alto do evento foi o lançamento do serviço de mapas da Apple, depois de anos de desenvolvimento, como desafio direto ao Google Maps, uma das funções mais populares tanto nos celulares inteligentes equipados com o Android quanto no iPhone.

O novo sistema operacional móvel da Apple, o iOS6, estará disponível a partir do final do ano e virá com o sistema de mapeamento "construído da base ao topo", disse Scott Forstall, que comanda a área de software da Apple.

O novo sistema substituirá o Google Maps, que até o momento vinha carregado automaticamente no iPad e iPhone, pelo aplicativo Apple de mapeamento, o que representará grande revés para o Google, que obtém metade do tráfego móvel ao seu serviço de mapas de aparelhos da Apple.

A decisão sinaliza a transformação da amizade entre as duas gigantes da eletrônica -Eric Schmidt, antigo presidente-executivo do Google, um dia fez parte do conselho da Apple- em amarga rivalidade que está determinando a evolução do setor de comunicação móvel. Jobs, co-fundador da Apple morto em 2011, declarou, controversamente, que estava disposto a um "ataque termonuclear" contra o serviço de buscas líder da Web, depois que o Google decidiu posicionar o Android como rival do iPhone.

Agora a Apple fará tudo que pode para se tornar menos dependente do Google, disse Colin Gillis, analista da BGC Partners.   Continuação...