Vivo se diz satisfeita com ágio de 67% em leilão 4G

terça-feira, 12 de junho de 2012 16:04 BRT
 

BRASÍLIA (Reuters) - A Vivo ficou "contente" com o preço oferecido pelo lote 3 do leilão de frequências para banda larga móvel de quarta geração (4G) realizado nesta terça-feira pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), afirmou o presidente do grupo Telefônica Brasil, Antonio Carlos Valente.

Segundo o executivo, a empresa trabalhava "há meses na proposta" para arrecadar o lote 3, que compreende a banda "X". Esse lote possui uma faixa com maior largura de frequência, de 20 megahertz, e permitirá mais capacidade à rede da operadora.

"Estamos contentes com a banda (X) e com o valor", afirmou o executivo a jornalistas, em Brasília.

O lote foi um de apenas dois disponíveis no leilão com a largura de frequência de 20 megahertz. O outro foi arrematado pela Claro, do grupo mexicano América Móvil.

A Vivo adquiriu o lote 3 por 1,05 bilhão de reais, após disputa com a Oi que elevou o ágio para 66,6 por cento, em relação ao preço mínimo de 630,19 milhões de reais.

Apesar do ágio, Valente disse que a Telefônica Brasil não vai rever seus investimentos, planejados para mais de 24 bilhões de reais no período de 2011 a 2014.

Valente comentou que a Vivo ainda não tomou decisão sobre como vai pagar pela licença.

Enquanto isso, o presidente da Claro, Carlos Zenteno, afirmou que entre as opções para pagar os 844,5 milhões de reais que ofereceu pelo lote 2, um ágio de 34 por cento, está utilização de caixa próprio e outras formas de financiamento.

"Compramos este lote por acreditar que era o melhor para nossa estratégia", disse Zenteno, acrescentando que a Claro já faz testes com tecnologia para o 4G em algumas cidades do país.   Continuação...