Facebook e LinkedIn terão que reforçar privacidade internacional

quinta-feira, 28 de junho de 2012 15:30 BRT
 

Por Lorraine Turner

DUBLIN, 28 Jun (Reuters) - Os grupos de tecnologia Facebook e LinkedIn concordaram em reforçar suas equipes de privacidade internacional e observância em resposta a demandas de um órgão regulador irlandês, disse o representante da Comissão de Proteção à Reuters.

Recentes vazamentos de dados de alto perfil, como a falha de segurança do LinkedIn que expôs as senhas de milhões de usuários, destacaram as dificuldades de gigantes da internet e reguladores ao proteger dados de consumidores.

Algumas das principais empresas do setor de tecnologia do mundo, incluindo o Google, estabeleceram suas sedes internacionais ou europeias na Irlanda, que tem regulações favoráveis aos negócios, em anos recentes.

O escritório do Facebook na Irlanda, que conta com aproximadamente 400 funcionários, administra todos os seus usuários de fora dos Estados Unidos ou do Canadá. O grupo tem mais de 900 milhões de usuários, a maioria dos quais acessa a rede social de fora da América do Norte.

O Facebook, maior rede social do mundo, concordou em incrementar seus serviços de proteção de privacidade para usuários de fora da América do Norte após o regulador irlandês considerar sua política de privacidade complexa e não-transparente.

"Eles estão reforçando suas funções de privacidade na Irlanda, transferindo para lá pessoas que assumiram funções de liderança nos Estados Unidos", disse o representante da Comissão de Proteção de Dados, Gary Davies, à Reuters.