TIM tem forte queda por temor de sanção do governo

quinta-feira, 12 de julho de 2012 16:40 BRT
 

12 Jul (Reuters) - As ações da TIM tinham forte queda na bolsa paulista nesta quinta-feira, com investidores mostrando receio de que a operadora de telefonia sofra sanções do governo devido a reclamações sobre a qualidade de seu serviço.

Após ter acenado na quarta-feira com a possível suspensão de novas vendas pela TIM, Bernardo disse nesta quinta que isso "seria o último recurso".

Em comunicado, a TIM disse que vem "cumprindo e segue rigorosamente as orientações" da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) sobre qualidade.

As ações da TIM recuavam 7,65 por cento às 16h35, a 9,78 reais, tendo perdido 8,1 por cento na mínima. O Ibovespa exibia leve desvalorização de 0,08 por cento.

"O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, afirmou ontem que as vendas de novos planos da TIM poderão ser suspensas e que a companhia terá de acelerar investimentos, e isso está repercutindo no mercado", afirmou Henrique Florentino, da equipe de análise da Um Investimentos.

"Isso seria ruim, porque a empresa poderia ter sua receita afetada, ao mesmo tempo em que teria de dispor de mais recursos para acelerar investimentos."

A TIM também afirmou no documento à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) que está desenvolvendo um conjunto de projetos de infraestrutura "para seguir suportando o seu crescimento e capturando as oportunidades que o mercado brasileiro oferece".

A empresa reiterou que segue investindo cerca de 3 bilhões de reais ao ano, nos últimos quatro anos, e que a maioria do montante é direcionado à infraestrutura.

Embora tenha amenizado suas declarações de quarta-feira, o ministro das Comunicações disse nesta manhã que algo precisa ser feito para melhorar a qualidade do serviço da TIM, ressaltando que o governo tem recebido muitas reclamações, "mas não no Brasil todo, em cinco ou seis Estados".   Continuação...