Telebrás quer investir R$1 bi em 2013 e R$1 bi em 2014

quinta-feira, 19 de julho de 2012 15:32 BRT
 

RIO DE JANEIRO, 19 Jul (Reuters) - A Telebrás pretende investir 1 bilhão de reais no ano que vem e mais 1 bilhão de reais em 2014 na ampliação da sua rede e sua infraestrutura no país, afirmou o presidente Caio Bonilha, nesta quinta-feira, a jornalistas.

Bonilha disse ainda que a companhia negocia a oferta de serviço para incrementar a capacidade de redes 3G com uma das operadoras punidas pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) na quarta-feira.

A Telebrás investiu no ano passado 80 milhões de reais e a previsão para este ano é de aproximadamente 400 milhões de reais. A prioridade da empresa é investir em regiões onde há demanda por serviços de banda larga e onde as grandes operadoras do país tem pouca penetração, segundo Bonilha.

O executivo disse que desde fevereiro, a Telebrás vem desenvolvendo um produto, o VPN (Rede Privada Virtual), que está disponível ao mercado há duas semanas.

Segundo ele, uma das operadoras punidas com a proibição de vendas de novas linhas na quarta-feira pela Anatel por problemas na qualidade do serviço oferecido a seus clientes já está em negociação para adquirir o novo produto. TIM, Oi e Claro foram as companhias punidas, mas Bonilha não disse com qual delas a Telebrás está negociando.

Bonilha frisou que o sistema poderá ajudar as operadoras de telefonia a aumentar e melhorar a capacidade das suas redes 3G e 4G.

"Um dos grandes problemas que as operadoras de celulares têm, é o backhaul, que é a interligação entre a estação básica e a central de controles da operadora. É nisso que a gente quer entrar e pode auxiliar nesse esforço de melhora da qualidade dos serviços das operadoras", explicou.

"O grande problema hoje é banda larga, Internet e 3G. Nisso nós podemos ajudar bastante. As operadoras podem usar a rede da Telebrás para incrementar a capacidade de sua rede. Já estamos em negociação com uma operadora e esperamos que agora a gente acelere essa negociação", disse.

Bonilha falou após participar de cerimônia na Firjan sobre a criação de um produto de Internet Banda Larga de alta velocidade para o setor corporativo brasileiro.

(Por Rodrigo Viga Gaier)