Operadoras tentam juntar os cacos após punição da Anatel

quinta-feira, 19 de julho de 2012 21:31 BRT
 

Por Roberta Vilas Boas e Leonardo Goy

SÃO PAULO/BRASÍLIA, 19 Jul (Reuters) - As operadoras de telefonia móvel do país tentaram minimizar nesta quinta-feira os estragos de severas sanções impostas na véspera pela Anatel, enquanto múltiplos sinais de insatisfação contra elas se avolumaram.

Durante o dia, executivos da TIM Participações e da Claro reuniram-se com representantes da Anatel, prometendo entregar o plano de investimentos exigido pelo regulador, que as acusou de prestar serviço de má qualidade.

A mais castigada pela agência, que a proibiu de vender novos planos em 18 Estados e no Distrito Federal, a TIM tentou acalmar os clientes com mensagens garantindo que está investindo "para garantir a qualidade dos serviços". No fim do dia, avisou que vai entrar com mandado de segurança contra a decisão da Anatel.

Empresa do bilionário mexicano Carlos Slim, assim como a Embratel Participações, a Claro se antecipou, afirmando que já havia entregue pela manhã um plano de investimentos em melhorias de serviços, na tentativa de abreviar a suspensão das vendas em três Estados.

"Estamos trabalhando para priorizar a entrega de informações para que a resposta seja o mais rápido possível, antes dos 30 dias", disse o presidente da Claro, Carlos Zenteno. A Anatel classificou o documento como apenas "um esboço".

No fim do dia, uma fonte da agência disse à Reuters que os planos das operadoras levarão pelo menos 15 dias para ser respondidos e que o prazo vai depender da qualidade dos projetos apresentados.

Na sexta-feira será a vez de o regulador receber executivos da Oi, que teve vendas suspensas em cinco Estados menores. Por isso, suas ações subiram 4 por cento, revertendo a derrocada da véspera.

Enquanto as operadoras se mexiam para tentar amenizar os estragos, o Ministério da Justiça anunciava que a telefonia móvel foi campeã em atendimentos nos Procons do país no primeiro semestre, com mais de 78 mil demandas de consumidores.   Continuação...

 
Mulher usa telefones celulares ao mesmo tempo para falar, ouvir música e enviar mensagens de texto no centro financeiro de São Paulo, em outubro de 2011. 26/10/2011 REUTERS/Nacho Doce