24 de Julho de 2012 / às 17:00 / 5 anos atrás

TIM entrega plano de qualidade e Anatel pede mais detalhes

BRASÍLIA (Reuters) - A operadora de telefonia celular TIM entregou nesta terça-feira um grande documento à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), com informações sobre seus planos para melhora da qualidade dos serviços aos clientes, mas a autarquia vai cobrar mais detalhes sobre a previsão de demanda da operadora.

"A TIM foi proativa, entregou um plano grande (800 páginas) e na parte técnica, ela mostrou grande alinhamento com as solicitações da agência", informou o superintendente de serviços privados da Anatel, Bruno Ramos, a jornalistas, após reunião com a operadora.

Ele afirmou porém, que "ajustes sobre demanda, de acompanhamento de demanda e equipamentos" vão ser pedidos pela agência.

Por problemas na qualidade, a Anatel suspendeu as vendas de novas linhas móveis da TIM em 18 Estados mais o Distrito Federal, da Oi em cinco, e da Claro, em três. A retomada das vendas depende da aprovação dos planos de melhoria dos serviços.

Ramos afirmou que a Anatel vai apurar se, apesar da proibição de novas habilitações de celulares das três operadoras, há chips sendo comercializados nos pontos de venda.

ANTECIPANDO INVESTIMENTO

Ao deixar a primeira parte da reunião -- que será retomada ainda nesta terça-feira -- o vice-presidente da TIM para assuntos regulatórios, Mario Girasole, disse que os prejuízos da empresa com a suspensão das vendas "será minimizado com uma solução rápida". Ele não quantificou o tamanho das perdas.

A TIM informou em nota distribuída a jornalistas na Anatel que dobrou para 451 milhões de reais a fatia do seu orçamento destinada para melhoria de qualidade. Os recursos, que seriam aplicados até 2014, vão ser injetados já em 2012, por meio de realocação dos investimentos previstos pelo grupo.

O montante faz parte dos planos de investimentos de 3,5 bilhões de reais para este ano e de 9,5 bilhões de reais até 2014.

"O problema hoje no setor é conseguir gastar todo o dinheiro que se orça", afirmou o executivo, dando como exemplo dificuldade das operadoras na instalação de novas antenas diante de múltiplas legislações municipais que regulam o tema.

A empresa chegou a entrar na Justiça para tentar suspender a punição da Anatel, mas teve seu pedido negado na segunda-feira. Questionado se a empresa recorrerá da decisão, o executivo da TIM respondeu que a operadora está focada "na mesa técnica e não na judicial".

Por Leonardo Goy

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below