Zynga reformula alto escalão após trimestre problemático

quarta-feira, 1 de agosto de 2012 15:54 BRT
 

Por Gerry Shih

1 Ago (Reuters) - A empresa de tecnologia Zynga reformulou seu alto escalão após um segundo trimestre problemático que derrubou suas ações e gerou processos de acionistas.

A desenvolvedora de jogos disse que seu vice-presidente operacional, John Schappert, deixará de coordenar a produção de games. Essas responsabilidades foram transferidas para o vice-presidente de celulares, David Ko, e para o vice-presidente executivo de jogos, Steve Chiang, que responderá diretamente ao presidente-executivo, Mark Pincus, afirmou a empresa em comunicado.

"Com o objetivo de uniformizar nossa companhia ao redor de uma postura de multiplataformas, reorganizamos nossos times em julho para integrar grupos focados na Internet e em celulares", disse a Zynga.

As ações da Zynga recuavam 4,57 por cento em Nova York às 15h46 (horário de Brasília). O papel acumulou perda de 72 por cento em relação ao preço de sua oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) de açõs em dezembro, de 10 dólares.

A reformulação reflete a decisão da empresa de priorizar suas ofertas para celulares com o objetivo de competir no altamente mutável mercado de jogos sociais, cujos usuários têm abandonado jogos para computadores para jogar em smartphones.

"Nossos jogadores esperam que seus jogos favoritos sejam disponibilizados em todas as plataformas, e queremos liberar todos na empresa de maneira que se movam rapidamente em direção à oportunidade de multiplataformas", disse a Zynga.

Um forte declínio no número de jogadores de seus tradicionalmente fortes jogos baseados no Facebook, que geram mais de 90 por cento das receitas da Zynga, prejudicou a companhia no segundo trimestre. A Zynga publicou na semana passada resultados trimestrais aquém das expectativas do mercado e cortou sua previsão para o ano, derrubando sua ação para uma queda de 40 por cento.

Nesta semana, dois escritórios de advocacia registraram processos coletivos de acionistas contra a empresa.