Acionistas querem que Texas Instruments deixe mercado sem fio

segunda-feira, 13 de agosto de 2012 12:45 BRT
 

NOVA YORK, 13 Ago (Reuters) - Os acionistas da Texas Instruments, antiga líder no segmento de chips para celulares, querem reduzir o investimento da companhia no deficitário setor de chips para telefonia móvel, ou até sair desse mercado.

A TI, que fabrica chips para produtos diversificados como celulares e automóveis, já está desativando seu desenvolvimento dos chips baseband, que conectam celulares a redes de telefonia móvel. O processo deve ser concluído até o final de 2012.

Agora, os analistas querem que a TI tome medida semelhante com relação às suas operações wireless remanescentes: os processadores OMAP de aplicativos para jogos, que acionam recursos como vídeo e videogames, e os chips de conectividade sem fio, que incluem tecnologias de curto alcance como Bluetooth e Wi-Fi.

"Creio que a maioria dos investidores deseje que eles façam algo a respeito antes que esses segmentos se tornam o próximo baseband", disse Stacy Rasgon, analista da Bernstein Research, que acredita que a TI poderia ter ganho dinheiro ao sair do mercado baseband se tivesse agido mais cedo.

'Ter essas operações wireless prejudica as ações', disse Rasgon, que vê essa área de negócios como distração para as operações analógicas, nas quais a TI é líder de mercado. As ações da TI caíram em quase 13 por cento do fim de março para cá.

Como Rasgon, alguns investidores da TI desejam que a empresa concentre seus esforços em mercados mais promissores como o analógico e o de chips integrados.

Rasgon acredita que a TI deveria reestruturar ou vender suas operações wireless. Embora não exista um comprador evidente, ele acredita que fabricantes de celulares como a LG Electronics ou a Huawei Technologies poderiam se interessar pelos ativos.

A TI registrou prejuízo operacional com seus negócios de wireless no primeiro e segundo trimestres, o que agrava as preocupações dos investidores sobre o segmento, responsável por 10 por cento da receita da companhia.

"Se não virmos crescimento apreciável no próximo ano ou pouco mais, é provável que saiam", disse Ed Snyder, analista da Charter Equity Research.

Doug Freedman, analista da RBC Capital Markets diz acreditar que a TI vá reduzir seu investimento em wireless. "Chegará a hora em que terão de reduzir seu nível de investimento nisso", disse.

(Por Sinead Carew)