Fábrica de painéis da Sharp ganha força com grandes encomendas

sexta-feira, 24 de agosto de 2012 10:32 BRT
 

Por Reiji Murai e Tim Kelly

TÓQUIO, 24 Ago (Reuters) - A japonesa Sharp anunciou nesta sexta-feira que a produção de deficitária fábrica de painéis LCD havia quase triplicado desde julho, para 80 por cento da capacidade instalada, o que melhora a situação de caixa da empresa enquanto esta se prepara para vendas de ativos e medidas severas de corte de custos.

Além de um grande pedido da Samsung Electronics, a Sharp recebeu ajuda da parceira Hon Hai Precision Industry, que obteve pedidos da fabricante norte-americana de televisores Vizio e da Sony, disseram fontes informadas sobre o assunto à Reuters, sob a condição de que seus nomes não fossem mencionados.

As notícias ajudaram as ações da Sharp a subir 5,5 por cento na sexta-feira, ante o declínio de um por cento no mercado como um todo.

A Sharp confia em que poderá manter a utilização da capacidade da fábrica de Sakai em 80 por cento pelo restante de seu ano fiscal, que termina em 30 de setembro, e espera sustentar esse nível elevado de utilização até o final de 2012 buscando encomendas de fabricantes chineses de televisores, para compensar qualquer perda de pedidos da Vizio ou Sony, disseram as fontes.

Terry Gou, presidente do conselho da Hon Hai, que recentemente adquiriu participação de 46,5 por cento na fábrica, visitará o oeste do Japão na quinta-feira para mostrar a unidade a uma delegação de empresários, políticos e burocratas de Taiwan, entre os quais o ex-vice presidente Vincent Siew, informou a representação diplomática de Taiwan em Tóquio na sexta-feira.

A visita planejada de Gou reforçou a expectativa de que a Hon Hai e a Sharp estejam perto de chegar a um acordo revisado de compra de ações da companhia japonesa pelo grupo taiuanês, o que faria deste o maior acionista da Sharp.

Em março, a Hon Hai fechou acordo para adquirir 10 por cento das ações da Sharp por 67 bilhões de ienes (855 milhões de dólares), o que avaliava a empresa japonesa em 550 ienes por ação.

A queda nas ações da Sharp e os fortes prejuízos da empresa desde então levaram a Hon Hai a buscar termos mais favoráveis.