Lexmark vai parar de fabricar impressoras jato de tinta

terça-feira, 28 de agosto de 2012 11:03 BRT
 

(Reuters) - A Lexmark anunciou nesta terça-feira que vai parar de produzir impressoras jato de tinta, cortando com isso 1.700 empregos, para se concentrar em segmentos de imagem e software, mais rentáveis.

A companhia está se focando em impressoras laser mais sofisticadas em detrimento dos equipamentos de uso doméstico de jato de tinta e também está investindo em seus serviços de impressão por meio várias aquisições nos últimos dois anos.

A receita do segmento de jato de tinta despencou 66 por cento no primeiro semestre de 2012, o que forçou a companhia a cortar sua previsão de desempenho para o fechado do ano.

A maioria das fabricantes de impressoras está sofrendo com as vendas em queda, já que impressão é sempre o primeiro alvo dos cortes de custos, porque as companhias a consideram um dos gastos mais dispensáveis.

A Xerox cortou em julho a previsão de lucro para o ano e a Canon fez o mesmo com o lucro operacional, em meio às duras condições de negócios na Europa.

A Lexmark, que tinha demitido em janeiro 625 pessoas ligadas à produção de suprimentos para equipamentos voltados a consumidores, terá um encargo antes de impostos de 160 milhões de dólares por conta da reestruturação. Desse total, 110 milhões impactarão sobre 2012, e o restante nos próximos três anos.

A companhia, que prevê uma economia anual de 95 milhões de dólares quando concluir a reestruturação, gastará 100 milhões de dólares com recompra de ações no segundo semestre.

A fabricante, que tinha 13,3 mil empregados até o fim de 2011, garantiu que continuará a prestar assistência e vender suprimentos para as impressoras jato de tinta já vendidas.

A Perceptive Software, que a Lexmark comprou em 2010, fornece programas e serviços para a gestão de documentos, imagens e outros documentos.

Neste ano, a Lexmark também comprou a Brainware, ISYS Search Software e Nolij e as incorporou à Perceptive Software. A divisão representou quase 5 por cento da receita do segundo trimestre, alta em relação aos cerca de 2 por cento sobre o mesmo período do ano passado.