Lenovo compra CCE em operação que pode chegar a R$700 mi

quarta-feira, 5 de setembro de 2012 18:18 BRT
 

Por Alberto Alerigi Jr.

SÃO PAULO, 5 Set (Reuters) - A chinesa Lenovo anunciou nesta quarta-feira a compra da CCE, numa operação que pode alcançar 700 milhões de reais e que está inserida em estratégia para tomar da Positivo Informática a liderança do mercado brasileiro de computadores pessoais nos próximos três anos.

O valor base da aquisição é de 300 milhões de reais, sujeito a ajustes. O cumprimento de alguns indicadores de desempenho pela CCE até 2016 podem aumentar o valor da transação em até 400 milhões de reais.

"O Brasil é o terceiro maior mercado de PCs do mundo e é o único país dos BRICs em que a Lenovo não está entre as três principais empresas", disse a jornalistas o presidente-executivo da companhia chinesa, Yang Yuanqing.

A Lenovo é a segunda maior fabricante mundial de PCs, atrás apenas da norte-americana HP, e deu um grande salto nesse segmento ao comprar a divisão de computadores da IBM em 2005.

De acordo com Yang, a Lenovo vai dobrar sua participação no mercado de PCs no Brasil com a CCE para 7 por cento, saindo da sétima para a terceira posição.

"Podemos crescer fortemente no Brasil... Este ano acabamos de dobrar nossa participação e estou confiante que podemos continuar fazendo isso e obter a liderança em três anos", disse o presidente da Lenovo no Brasil, Dan Stone.

Para conseguir a liderança, a Lenovo terá que elevar sua participação para acima dos cerca de 15 por cento detidos pela Positivo Informática, que tem como estratégia de diversificar receitas para além de computadores, lançando tablets em 2011 e anunciando entrada no segmento de celulares inteligentes nesta semana.

Perguntado se a nova empresa no Brasil se lançará numa ofensiva agressiva de preços de seus produtos, Stone afirmou que a Lenovo "não acredita em compra de participação de mercado".   Continuação...

 
CEO da Lenovo, Yang Yuanqing, fala durante coletiva de imprensa em São Paulo. A empresa chinesa anunciou nesta quarta-feira a compra da brasileira CCE, numa estratégia para se tornar a maior companhia de computadores no Brasil, posição atualmente ocupada pela Positivo Informática. 05/09/2012 REUTERS/Nacho Doce