Samsung rebate veredito pró-Apple com argumento sobre jurado

quarta-feira, 3 de outubro de 2012 12:11 BRT
 

SAN FRANCISCO, 3 Out (Reuters) - A Samsung Electronics alegou que um importante veredicto em favor da Apple na disputa de patentes entre as duas empresas deve ser anulado porque o primeiro jurado não revelou que esteve envolvido em um processo judicial contra a Seagate Technology, companhia que tem a Samsung entre seus principais investidores.

A posição da Samsung, revelada na terça-feira em petição submetida à Justiça, confirma a reportagem da Reuters na semana passada sobre a substância do argumento da companhia sul-coreana.

Um representante da Apple não quis comentar.

A guerra judicial entre a Apple e a Samsung passou por um momento decisivo em agosto, quando um júri no norte da Califórnia considerou que a Samsung havia violado tecnologia patenteada do iPhone e iPad.

Os jurados concederam 1,05 bilhão de dólares em indenização à Apple, e a juíza federal Lucy Koh pode impor proibições permanentes à venda de certos produtos da Samsung nos Estados Unidos.

A Samsung apresentou petição solicitando novo julgamento no mês passado, mas suas alegações quanto à potencial conduta imprópria da parte de jurados não haviam sido divulgadas. Koh rejeitou o pedido da Samsung para manter o sigilo quanto a essa argumentação, e na terça-feira a Samsung apresentou o texto integral da petição.

Durante a seleção do júri, Velvin Hogan --que depois tornou-se primeiro jurado no julgamento-- revelou um processo em que esteve envolvido mas escondeu informações sobre dois outros, de acordo com a Samsung.

Um desses casos envolvia seu antigo empregador, a fabricante de discos rígidos Seagate, a Samsung afirmou.

"A Samsung mantém relacionamento estratégico substancial com a Seagate", a empresa afirmou em sua petição, "o que culminou no ano passado na venda de uma divisão para a Seagate em um negócio de 1,375 bilhão de dólares, fazendo da Samsung a maior acionista única direta da Seagate".

A empresa acrescentou que "o fato de que Hogan não tenha revelado seu processo contra a Seagate é prova de parcialidade que a Samsung deveria ter podido investigar durante o interrogatório dos potenciais jurados".

Em uma entrevista à Reuters na semana passada, Hogan reconheceu o litígio com a Seagate --agora com 20 anos-- e disse não ter sido orientado a listar todos os processos nos quais já esteve envolvido.