Belo tablet da Microsoft desaponta com software, dizem críticos

quarta-feira, 24 de outubro de 2012 15:19 BRST
 

24 Out (Reuters) - Blogueiros de tecnologia e outros avaliadores elogiaram o novo tablet Surface RT, da Microsoft, por seu belo design, mas disseram que uma falta de aplicativos e lento sistema operacional pode decepcionar usuários.

A Microsoft começa a vender o Surface na sexta-feira, entrando na briga em um mercado de tablet dominado pelo iPad, da Apple, e por dispositivos que utilizam o sistema Android, do Google.

Críticos que receberam o produto antes de seu lançamento disseram que a primeira versão tem pouco brilho em comparação com o iPad.

Matt Burns, do TechCrunch, disse que o tablet é ótimo e que o sistema operacional Windows RT é promissor, mas ainda não se mostrou interessado. "Há opções mais maduras disponíveis atualmente", escreveu.

Da mesma maneira, Sam Biddle, do Gizmodo, um site de tecnologia, disse que o Surface tem um potencial fantástico mas criticou acentuadamente o sistema operacional, Windows RT, dizendo que é pouco potente e tem poucas funcionalidades.

"Embora o potencial seja digno de sua atenção, não é digno do seu salário. O Surface RT acerta muitas coisas e junta muitas coisas boas em um só pacote. Mas ele saiu do forno prematuramente", escreveu ele.

O sistema operacional Windows 8, disponível também para tablets, teve toda a gama dos aplicativos Windows, mas o Windows RT não, e não é compatível com softwares mais antigos, disse Vincent Nguyen, do Slashgear.

"A Microsoft não tem feito o melhor trabalho em explicar as diferenças, e muitos clientes devem comprar o RT apenas para descobrir que ele não tem toda a funcionalidade do Windows 8", acrescentou Shara Tibken, da CNET.

A Microsoft disse esperar ter 100 mil aplicativos para o tablet até janeiro, enquanto a Apple tem 275 mil disponíveis neste momento, ao passo que seu tablet também roda muitos aplicativos do iPhone.   Continuação...

 
O presidente de divisão do Windows e do Windows Live, Steven Sonifsky, apresenta um tablet Surface em Xangai, na China. 23/10/2012 REUTERS/China Daily