iPad, da Apple, desaponta e Wall St mira temporada de festas

quinta-feira, 25 de outubro de 2012 20:26 BRST
 

Por Poornima Gupta

SAN FRANCISCO, 25 Out (Reuters) - A Apple anunciou mais um trimestre de resultados fracos e as vendas do iPad ficaram aquém das estimativas de Wall Street, motivando queda da ação da empresa.

A mais valiosa companhia de tecnologia do mundo, cujo ação flertou no after-market com preços abaixo de 600 dólares pela primeira vez desde agosto, teve resultados em linha com expectativas. No trimestre anterior, sua receita havia ficado abaixo das previsões do mercado.

A Apple vendeu menos iPads do que o previsto, já que a economia continuou fraca e consumidores preferiram aguardar o lançamento do iPad mini, que chega às lojas em novembro.

Analistas disseram que o verdadeiro teste para a Apple será a crucial temporada de festas de fim de ano, quando a competição será feroz com empresas como Amazon.com, Google e Microsoft --todas elas lançando novos produtos.

"Aproximando-se da temporada de resultados, nós nos perguntávamos se a desaceleração na economia chegaria a Wall Street, e ela chegou", disse o co-gestor do Capital Advisors Growth Fund, Channing Smith.

"A Apple está muito bem posicionada com o iPad e agora, com o iPad mini. Ela tem um ótimo smartphone e esperamos que o iPhone 5 venda muito bem."

A Apple embarcou 26,9 milhões de iPhones no último trimestre, acima da faixa de 25 milhões a 26 milhões prevista por analistas. As vendas de iPads foram de 14 milhões de unidades, abaixo de projeções do mercado para o tablet.

O quarto trimestre fiscal da companhia incluiu apenas nove dias durante os quais foi vendido o novo iPhone 5, o que significa que a atenção do mercado está no atual trimestre de festas de fim de ano --o primeiro para o ano fiscal da Apple.   Continuação...

 
O novo iPad mini é projetado em uma tela em evento da Apple em San José, Califronia, nos EUA. A Apple divulgou nesta quinta-feira receita trimestral em linha com as expectativas de Wall Street, mesmo com vendas decepcionantes de iPad. 23/10/2012 REUTERS/Robert Galbraith