Executivos de tecnologia trocam insultos em meio a guerra de tablets

sexta-feira, 26 de outubro de 2012 12:16 BRST
 

Por Poornima Gupta e Alistair Barr

SAN FRANCISCO, 26 Out (Reuters) - Os maiores nomes do setor de tecnologia ao consumidor, incomodados com uma sequência de resultados trimestrais decepcionantes anunciados este mês, estão se preparando para uma temporada de festas de fim de ano que contará com a mais feroz batalha dos últimos anos.

Investidores e consumidores decidiram desconsiderar os números trimestrais fracos de gigantes da tecnologia como Microsoft, Apple, Google e Amazon. O que conta são os próximos 60 dias, quando os maiores nomes da tecnologia travarão uma batalha de intensidade e escala quase inéditas.

Na quinta-feira, a Amazon comparou o Kindle Fire com o novo iPad mini ponto a ponto, na divulgação de resultados trimestrais. O presidente-executivo da Apple, Tim Cook, no mesmo dia, comparou o tablet Microsoft Surface a um carro sofisticado demais, capaz de voar e flutuar. E a Microsoft atacou o iPad, alegando que seu Surface oferecia duas vezes mais memória.

Todos os três tablets disputarão o dinheiro cada vez mais escasso dos consumidores, na temporada de festas. A coisa está ficando feia, pelos padrões da tecnologia.

"O crescimento está nos tablets. É por isso que eles todos estão brigando quanto a isso. Os embarques de PCs caíram, e alguns compradores de tablets talvez nunca mais comprem um computador", disse Michael Alenson, diretor de consultoria estratégica de tecnologia e telecomunicações na Maritz Research. O confronto iminente ainda está longe de decidido.

A Apple, favorita na disputa, perdeu parte da aura de invencibilidade quando o Google Android e os produtos Samsung começaram a ganhar terreno nos celulares inteligentes, diante da blitz de marketing da Microsoft, e com a concorrência feroz do Amazon Kindle, o segundo mais vendido entre os tablets no mercado norte-americano.

Essa concorrência afetou o preço das ações da Apple, que caíram para a mínima em três meses depois que a companhia reportou o segundo trimestre consecutivo de resultados decepcionantes, o que maculou sua reputação de sempre superar as expectativas de Wall Street.

O Google está lutando para se ajustar aos padrões publicitários do mercado móvel, e a Microsoft tem de encarar as resenhas nada lisonjeiras sobre seu sistema operacional Windows 8 e tablet Surface.   Continuação...