TIM diz que análise não indica queda proposital de chamadas

segunda-feira, 12 de novembro de 2012 11:28 BRST
 

RIO DE JANEIRO, 12 Nov (Reuters) - A operadora de telecomunicações TIM informou que uma avaliação independente contratada pela empresa não indicou "formas propositais ou intencionais" para desconexões de suas chamadas móveis, de acordo com comunicado nesta segunda-feira.

A imagem da operadora foi afetada após o vazamento de um relatório interno da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), em agosto, no qual o órgão dizia investigar se a TIM derrubava de forma proposital as chamadas de usuários do plano Infinity, para, com isso, forçar o usuário a realizar outra ligação.

A avaliação realizada pela Ericsson constatou que a taxa de queda de chamadas relativa a 8 de março de 2012 foi de 2,09 por cento, "em linha com o resultado de 2,04 por cento gerado internamente pela TIM", e que não há "evidência" de que essa taxa seja da ordem de 24 por cento, segundo o comunicado.

O dado foi confirmado pela consultoria independente PricewaterhouseCoopers.

"As conclusões ratificam a afirmação feita pela companhia em comunicado anterior, negando qualquer prática de ilícito ou qualquer manobra que ferisse a transparência no relacionamento com seus clientes", segundo comunicado.

De acordo com a nota divulgada ao mercado, a TIM já notificou o órgão regulador sobre a avaliação.

"Ambos os estudos foram concluídos recentemente e apresentados à Anatel, como contribuição para o trabalho que a agência está concluindo no sentido de esclarecimento da questão", acrescentou a nota.

(Por Sérgio Spagnuolo)