HP refuta pedido de ex-CEO da Autonomy e alerta sobre ação legal

terça-feira, 27 de novembro de 2012 21:26 BRST
 

SAN FRANCISCO, 27 Nov (Reuters) - A Hewlett Packard rejeitou um pedido do ex-presidente-executivo da Autonomy, Mike Lynch, de detalhar as acusações de fraude contábil levantadas contra a companhia britânica de software e seus ex-executivos, e desafiou Lynch a se apresentar para questionamentos sob pena de perjúrio.

A HP respondeu a uma carta aberta que Lynch enviou ao seu Conselho nesta terça-feira, a qual pedia por especificações sobre as alegações da companhia norte-americana de que Lynch e ex-executivos da Autonomy inflaram dados de receitas e margens brutas, evento que forçou a HP a atribuir uma baixa contábil de 8,8 bilhões de dólares no valor da Autonomy.

Em sua carta, Lynch novamente rejeitou quaisquer acusações de impropriedade, e pediu que o Conselho da HP divida com ele os mesmo documentos apresentados a reguladores britânicos e norte-americanos, incluindo à Securities and Exchange Commission (SEC) e ao Departamento da Justiça dos EUA.

A alteração desta terça-feira entre a HP, maior companhia de computação do mundo em receita, e o ex-chefe da Autonomy, comprada pela HP por mais de 11 bilhões de dólares no ano passado, escalou ainda mais problemas que vieram à tona na semana passada, quando a HP surpreendeu investidores ao publicamente acusar Lynch e outros executivos não identificados de terem inflado alguns resultados financeiros.

A revelação também trouxe ao debate a competência da HP, que tem feito uma série de erros nos últimos dois anos, incluindo aquisições mal sucedidas e más decisões estratégicas.

Na carta desta terça-feira, Lynch desafiou a HP a detalhar como foi calculada a baixa contábil, especialmente 5 bilhões de dólares que a companhia disse estarem diretamente atribuídos a impropriedades contábeis na Autonomy.

(Por Edwin Chan e Poornima Gupta)