Empresas de TV paga detalham planos para melhoria de serviços

quarta-feira, 28 de novembro de 2012 15:39 BRST
 

Por Sérgio Spagnuolo

RIO DE JANEIRO, 28 Nov (Reuters) - As principais empresas de TV paga do Brasil detalharam seus planos de ações para melhoria na prestação de serviços, após a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) ter exigido medidas para reduzir o número de reclamações no setor.

Ao todo, seis empresas até o momento entregaram seus planos para o regulador, o qual ainda não vê motivos para sanções mais extremas como a suspensão das vendas.

A Net, maior fornecedora de serviços de TV paga do país em número de assinantes, identificou entre os principais motivos das reclamações a qualidade do sinal, cumprimento de agenda, informação correta sobre a mensalidade e tempo e qualidade de atendimento.

Para infraestrutura, a empresa do grupo mexicano de telecomunicações América Móvil disse mobilizar 700 frentes de trabalho para melhorar sinal de seus serviços, com finalização prevista para março de 2014. Para melhorar o atendimento presencial e a manutenção serão investidos cerca de 100 milhões de reais em ferramentas de gestão e treinamento.

Já a Vivo TV, Telefônica Brasil, busca reduzir em 61 por cento as reclamações relativas a cobrança até outubro de 2013, com medidas como simplificação dos serviços, maior transparência e garantias nesses processos, inclusive com penalização de fornecedor.

A empresa busca também cortar em 52 por cento reclamações com reparos de serviços, comprometendo-se com rápido restabelecimento do sinal, e em 30 por cento as queixas com cancelamentos dos serviços, igualmente até outubro do próximo ano.

Para a subsidiária do grupo espanhol Telefónica, entretanto, para atingir a meta é preciso levar em conta a "descontinuidade da tecnologia MMDS (distribuição de sinal por radiofrequência)".

"Mesmo oferecendo a migração para outra tecnologia, há resistência natural dos usuários na mudança e, em alguns casos, pode haver inviabilidade técnica de fazer esta mudança, o que pode gerar reclamações", disse a Telefônica Brasil em seu plano.   Continuação...