Telefônica e MasterCard lançam cartão pré-pago móvel

quarta-feira, 28 de novembro de 2012 18:17 BRST
 

SÃO PAULO, 28 Nov (Reuters) - A Telefônica Brasil e a MasterCard anunciaram nesta quarta-feira um cartão atrelado à conta do telefone celular pré-pago para transações financeiras.

O produto tem os não bancarizados como alvo. Entre outras funções, o cartão permitirá recarga de celular, transferência de valores para outros clientes da Vivo, operadora de telefonia móvel da Telefônica Brasil, e pagamento de compras.

"O objetivo é alcançar clientes da Vivo que não tem conta bancária", disse a jornalistas o presidente da Telefônica, Antonio Carlos Valente.

Quem aderir ao serviço receberá um cartão com a bandeira MasterCard e uma senha. Esses clientes terão também uma conta-corrente pré-paga administrada pela MFS, joint venture criada pelos sócios para administrar soluções de pagamentos móveis.

Assim, os assinantes poderão 'depositar' recursos na conta-corrente pré-paga comprando créditos nos mesmos estabelecimentos onde hoje apenas recarregam o telefone. Quem receber transferências de recursos poderá sacá-los em dinheiro em caixas eletrônicos Cirrus, da MasterCard, como a rede 24 horas.

De acordo com os executivos das empresas sócias, o produto não depende de uma instituição financeira para ser operado, por não envolver transações de crédito. Os recursos serão mantidos em contas-reserva em bancos (três instituições cujos nomes não foram revelados).

O lançamento deve acontecer em abril em cinco cidades e ser expandido para todo o país até julho. A expectativa é de que o serviço tenha 200 mil usuários em dezembro do ano que vem, com uma movimentação mensal de cerca de 500 mil operações.

"A ideia é atingir 50 por cento da base de clientes de pré-pago da Vivo em alguns anos", disse a jornalistas o presidente da MFS, Marcos Etchegoyen. A empresa tem participação igualitária de 50 por cento de MasterCard e Telefônica.

Em setembro, dos 76,8 milhões de telefones móveis da base de clientes da operadora, a maior do país, cerca de 59 milhões eram linhas pré-pagas.

Segundo os executivos, o serviço estará disponível para todos os clientes, mesmo os que não tiverem smartphones, sem custo adicional. O valor das tarifas que serão cobradas, porém, não foram reveladas.

(Por Aluísio Alves)