Novo iMac, da Apple, deve ajudar tecnologia híbrida de armazenagem

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012 16:53 BRST
 

Por Himank Sharma

13 Dez (Reuters) - Quando o chefe de marketing da Apple, Phil Schiller, lançou o novo iMac em outubro, ele ressaltou seu recurso de "Fusion Drive", uma opção de armazenamento combinando os benefícios de custo e capacidade de discos rígidos com a velocidade da chamada memória flash.

Para muitos, essa ideia ficou perdida em meio ao lançamento do novo iPad mini no mesmo dia. Mas a adoção pela Apple de uma tecnologia que existe há anos, sem real grande utilização, pode trazer esses recursos "híbridos" para o palco principal.

Isso significará computadores mais rápidos e baratos o suficiente para a maioria dos consumidores em breve.

A previsão também é positiva para fabricantes de discos rígidos, cuja fatia do mercado de 45 bilhões de dólares de dispositivos de armazenamento está sendo prejudicada pelas chamadas unidades de estado sólido (SDDs, na sigla em inglês), que são mais rápidas e confiáveis, mas também mais caras.

"Drives híbridos serão o futuro do mercado de massa de armazenamento barato", disse John Rydning, analista da empresa de pesquisa IDC.

Os "drives" híbridos --uma mistura entre o disco rígido padrão (conhecido como HD) e um chip de memória flash-- demoraram para decolar porque até agora apenas a Seagate Technology os oferecia. Fabricantes de PCs tendem a se afastar quando se trata de um único fornecedor.

Eles também custam mais do que os tradicionais HDs, e foram vistos como uma tecnologia de transição à medida que o mercado espera pela queda nos preços dos SDDs.

Agora, tanto a Seagate quanto a rival Western Digital estão apostando nos híbridos para obter mais vantagens no lotado mercado de SDDs, onde competem com mais de 100 outras empresas.   Continuação...