Agência dos EUA rejeita patente da Apple em decisão inicial

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012 13:42 BRST
 

20 Dez (Reuters) - As autoridades de patentes dos Estados Unidos rejeitaram a crucial patente de zoom por movimento diagonal de dedos da Apple, em decisão inicial, o que representa o segundo revés em menos de dois meses para a fabricante do iPhone, em sua batalha contra a Samsung Electronics.

As ações da Apple vêm sofrendo no mercado nas últimas semanas, dada a preocupação dos investidores com a crescente concorrência da Samsung e outros fabricantes de aparelhos móveis equipados com a plataforma Google Android.

A Apple conquistou uma grande vitória judicial contra a rival sul-coreana em agosto, quando um júri norte-americano considerou que a Samsung havia copiado recursos críticos dos populares iPhone e iPad, e concedeu 1,05 bilhão de dólares em indenização à Apple.

A Samsung e a Apple, as duas maiores fabricantes mundiais de smartphones, estão envolvidas em disputas de patentes em pelo menos 10 países, em seu esforço para dominar o lucrativo mercado móvel e conquistar clientes com seus mais recentes aparelhos.

O U.S. Patent and Trademark Office, na quarta-feira, invalidou provisoriamente a patente sobre o zoom por movimento diagonal de dedos em uma tela de toques, uma das patentes mencionadas no julgamento em agosto.

O recurso de zoom por movimento diagonal distingue entre toque em um ponto da tela e toque em múltiplos pontos, e permite que o usuário aumente ou diminua a imagem na tela por meio de movimento diagonal de dois dedos.

Na segunda-feira, uma juíza federal norte-americana rejeitou a solicitação pela Apple de uma liminar permanente bloqueando a venda de smartphones Samsung.

A Samsung já havia obtido uma invalidação preliminar da patente da Apple sobre o "efeito elástico", em outubro. A tecnologia que a patente cobre retorna a imagem da tela ao ponto inicial quanto o usuário tenta fazer rolar para além do limite da tela.

A invalidação de uma patente pelo serviço norte-americano de patentes é um processo que envolve múltiplos passos e pode levar anos. Também é comum que recursos judiciais contra a decisão sejam possíveis, o que complica ainda mais o processo.

(Reportagem de Balaji Sridharan e Sayantani Ghosh em Bangalore)