Fundo de pensão processa Qualcomm para acessar gastos políticos

quinta-feira, 3 de janeiro de 2013 14:55 BRST
 

3 Jan (Reuters) - Um fundo de pensão de 150 bilhões de dólares do Estado de Nova York entrou na quarta-feira com processo contra a Qualcomm, pedindo acesso, na condição de acionista, aos gastos da fabricante de chips com atividades políticas, informaram autoridades nesta quinta-feira.

O Fundo de Pensão Comum do Estado de Nova York entrou com processo em uma corte de Delaware após a Qualcomm se negar a detalhar o uso de recursos da companhia destinado a atividades políticas, afirmou o fiscal de controladoria do Estado de Nova York, Thomas DiNapoli, que fiscaliza o fundo.

O fundo, terceiro maior plano de pensão dos Estados Unidos, até 31 de dezembro detinha ações da fabricante de chips avaliadas em mais 378 milhões de dólares.

Outras companhias aumentaram a transparência dos gastos políticos após uma decisão da Suprema Corte dos Estados Unidos em 2010, mas a Qualcomm ainda não fez isso, acusou o processo.

Uma porta-voz disse que a Qualcomm não iria se pronunciar imediatamente.

O fundo de pensão vinha tentando pelo menos desde agosto de 2012 receber essas informações da Qualcomm, mas a companhia se negava a fornecê-las, segundo a queixa.

O fundo de pensão está "preocupado por não saber se altos executivos e diretores da Qualcomm estão gastando recursos corporativos da ajudar políticos preferidos" ou em causas que não estão voltadas para aumentar o valor da companhia.

Outras fontes mostram que a Qualcomm, em 2012, destinou mais de 4,7 milhões de dólares em esforços federais de lobby, segundo o processo.

(Por Hilary Russ)