REEDIÇÃO-Chinês admite culpa em roubo de US$100 mi em software

terça-feira, 8 de janeiro de 2013 14:58 BRST
 

(Esclarece que caso envolve venda de softwares piratas com

valor de varejo de US$100 mi)

WILMINGTON, Estados Unidos (Reuters) - Em um caso que autoridades norte-americanas dizem ser o primeiro do seu tipo, um empresário chinês declarou-se culpado na segunda-feira de vender cópias softwares norte-americanos usados em defesa, engenharia e tecnologia espacial, programas que os promotores disseram ter um valor de varejo de 100 milhões de dólares.

Um dos softwares pirateados foi roubado de cerca de 200 empresas norte-americanas e vendido a 325 compradores no mercado negro em 61 países de 2008 a 2011, afirmaram os promotores em documentos judiciais. Compradores em 28 Estados dos EUA incluem um engenheiro da Nasa e um cientista-chefe de uma empresa de serviços terceirizados de defesa, segundo os promotores.

As vítimas corporativas no caso incluem Microsoft, Oracle, Rockwell Automation, Agilent Technologies, Siemens, Delcam, Altera e SAP, disse um porta-voz do governo dos EUA.

As autoridades norte-americanas e o advogado do acusado, Mingli Chen, disse que o caso foi o primeiro no qual um empresário envolvido em pirataria industrial de software foi atraído por agentes infiltrados na China e preso.

O empresário Xiang Li foi preso em junho de 2011, durante uma operação de agentes infiltrados do Departamento de Segurança Interna dos EUA na ilha de Saipan, um território norte-americano perto de Guam.

"Eu quero dizer ao tribunal que o que eu fiz foi errado e ilegal e quero dizer que sinto muito", disse Li ao juiz distrital norte-americano Leonard Stark, durante audiência. O cidadão chinês falou por meio de tradutor.   Continuação...