Presidente da Apple se reúne com China Mobile, maior do mundo em assinantes

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013 12:01 BRST
 

XANGAI, 10 Jan (Reuters) - O presidente-executivo da Apple, Tim Cook, reuniu-se com o presidente de conselho da China Mobile, Xi Guohua, para discutir "questões de cooperação", informou um porta-voz da maior operadora de celular do mundo em número de assinantes.

"Xi Guohua e Tim Cook discutiram questões de cooperação", afirmou o porta-voz da China Mobile, Li Jun, em comunicado sem mais detalhes, por conta de um acordo de confidencialidade.

A Apple, que já tem acordo com China Unicom a China Telecom, ainda não assinou um para a China Mobile vender iPhone no país.

Esse acordo daria à Apple acesso a uma imensa carteira de assinantes e a ajudaria a deter a queda de participação no maior mercado mundial de celulares.

Cook disse a jornalistas nesta quinta-feira acreditar que a China se tornará o maior mercado da Apple no futuro próximo.

"No momento, a Apple tem 11 lojas na China e região, bem como muitos revendedores. Continuaremos a nos expandir na China e o número de lojas de varejo passará de 25", declarou Cook, de acordo com o site Sina Technology News.

Cook está em Pequim para reuniões com autoridades e parceiros da companhia. Na terça-feira, ele se reuniu com o ministro da Indústria e Tecnologia da Informação, e na quarta, com altos executivos da China Unicom.

A falta de acordo com a China Mobile vem prejudicando a Apple nos últimos meses porque leva os usuários a outras marcas de smartphones, como a Samsung Electronics e a Lenovo.

As negociações entre a Apple e a China Mobile já se arrastam há anos, emperradas por questões de divisão de receita.

A China Mobile usa uma rede 3G diferente da utilizada no resto do mundo, e alguns especialistas afirmam que a Apple talvez vá esperar que a nova rede se prove comercialmente viável antes de lançar o iPhone na operadora.

(Por Melanie Lee)

 
Presidente-executivo da Apple, Tim Cook, discutiu "questões de cooperação" com Xi Guohua, da China Mobile. 23/10/2012. REUTERS/Robert Galbraith