Ação da Dell dispara por notícias sobre fechamento de capital

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013 18:54 BRST
 

SAN FRANCISCO, 14 Jan (Reuters) - A ação da Dell disparava mais de 10 por cento para uma máxima em quase oito anos nesta segunda-feira, após a Bloomberg noticiar que a terceira maior fabricante de computadores do mundo está em negociações com pelo menos duas empresas de private equity para fechar seu capital.

A discussão entre a produtora de PCs, que tem cedido fatia mercado para a rival maior HP e para a chinesa Lenovo, e as companhias de private equity são preliminares e o financiamento não foi assegurando, de acordo com duas fontes a par do assunto citadas pela Bloomberg.

A Dell disse que não comenta sobre rumores ou especulação.

Como a HP e a Lenovo, a Dell está enfrentando dificuldades com a minguante demanda por computadores desktop e laptop com o surgimento de tablets como o iPad, da Apple. As vendas de PCs nas férias recuaram pela primeira vez em mais de cinco anos, de acordo com a empresa de pesquisa IDC.

A companhia, que agora está se reinventando como uma fornecedora de computadores e serviços para corporações e agências governamentais, viu as entregas despencarem 21 por cento no quarto trimestre, de acordo com a IDC. No terceiro trimestre, seu lucro recuou 47 por cento.

A sorte da Dell tem oscilado. Em 2007, o presidente-executivo bilionário Michael Dell --cuja companhia foi elogiada como uma pioneira de gestão de inventário e vendas online de computadores personalizados-- retornou à companhia que ele fundou para tentar revivar o negócio.

O valor de mercado da empresa era de cerca de 19 bilhões de dólares antes do rali desta segunda-feira. Michael Dell agora detém mais de 14 por cento da companhia, de acordo com dados da Thomson Reuters, e no ano passado foi considerado o 22o norte-americano mais rico, com uma fortuna de 14,6 bilhões de dólares.

O papel da Dell disparou para uma máxima intradia de 12,83 dólares durante a tarde --maior nível desde maio de 2012-- após uma breve suspensão de negociações.

(Reportagem de Poornima Gupta)