Steve Jobs ameaçou processo para impedir contratações pela Palm

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013 15:06 BRST
 

SAN FRANCISCO, 23 Jan (Reuters) - O cofundador da Apple Steve Jobs ameaçou um processo de patentes contra a Palm se o presidente-executivo da empresa recusasse um acordo que a impediria de contratar funcionários da Apple, de acordo com documentos judiciais.

A atitude de Jobs foi revelada como parte de um processo civil aberto por cinco trabalhadores do setor de tecnologia contra Apple, Google, Intel e outras companhias.

Eles alegam conluio para eliminar a concorrência pela contratação de funcionários umas das outras, o que resultou em salários mais baixos.

As companhias de tecnologia acusadas tentaram manter diversos documentos em segredo, mas a juíza federal Lucy Koh, de San Jose, Estados Unidos, rejeitou parte de suas solicitações, o que resultou na divulgação pública da comunicação entre Jobs e o então presidente-executivo da Palm, Edward Colligan, em 2007.

Jobs propôs eliminar a concorrência por talentos entre as duas companhias, de acordo com depoimento juramentado de Colligan citado pelos queixosos.

Ele também sugeriu que, caso a Palm não aceitasse esse arranjo, poderia enfrentar processos por violação das muitas patentes da Apple, de acordo com o depoimento de Colligan.

Um representante da Apple não foi localizado de imediato para comentar o assunto. Um porta-voz da Hewlett-Packard, que assumiu o controle da Palm, também não foi localizado.

Colligan disse a Jobs que o plano era "provavelmente ilegal", e que a Palm não se deixaria "intimidar" pela ameaça.

"Se você optar pela via judicial, podemos responder com alegações próprias baseadas nos ativos de patentes , mas não creio que um processo seja a resposta", ele disse.   Continuação...

 
Cópias da biografia do ex-CEO da Apple, Steve Jobs, são vistas em uma livraria em Nova York, nesta foto de arquivo. 24/10/2011 REUTERS/Shannon Stapleton