Vendas de smartphone Xperia Z têm bom começo, diz Sony

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013 11:35 BRT
 

Por Harro Ten Wolde

BARCELONA, Espanha (Reuters) - As vendas do celular inteligente Xperia Z, modelo de topo de linha da Sony, tiveram um bom começo desde que o aparelho foi lançado em diversos dos principais mercados europeus na segunda-feira, disse Calum MacDougall, vice-presidente de marketing da linha Xperia na Sony Mobile.

"Tivemos encomendas pré-lançamento realmente fortes", disse MacDougall em entrevista durante o Mobile World Congress. "A primeira loja da Sony a receber o modelo foi a de Berlim, na Alemanha, e o estoque se esgotou em duas horas".

"Na França, vendemos mais aparelhos em um dia em nossa loja online do que vendemos em 12 semanas em aparelhos móveis", acrescentou. O smartphone Xperia, que chegou ao mercado no Japão no mês passado e agora está disponível em 60 países, custa 649 euros e é parte dos esforços do grupo japonês para expandir sua presença no setor de telefonia celular.

A Sony identificou os aparelhos móveis, que incluem também os tablets Xperia, como parte de seus esforços para superar os problemas na divisão de televisores do grupo, que contribuíram para o prejuízo recorde que a empresa anunciou no ano fiscal passado.

"O Xperia vendeu mais de 150 mil unidades em sua primeira semana no Japão, conquistando 2,4 por cento do mercado imediatamente", disse MacDougall. "Pode ser cedo demais para dizer, mas os sinais são bastante positivos".

Mas o modelo enfrenta feroz concorrência dos aparelhos já estabelecidos da Samsung Electronics e da Apple. A participação da Sony no mercado de celulares foi de 1,7 por cento no quarto trimestre, ante 22,7 por cento para a Samsung e 9,2 por cento para a Apple, de acordo com a consultoria Gartner.

A Sony também mostrou na feira de Barcelona o seu tablet Xperia Z, que ela descreve como resistente contra poeira e água. Com espessura de apenas 6,9 milímetros e peso de 495 gramas, o Xperia Z tem uma tela de alta definição de 10,1 polegadas e chegará ao mercado no segundo trimestre.

O modelo vai desafiar diretamente a Apple, que domina o mercado de tablets caros, ainda que modelos menores e mais baratos, equipados com o sistema operacional Android, também tenham conquistado espaço.