Pandora vai restringir uso móvel do serviço, por custos de royalty

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013 13:00 BRT
 

28 Fev (Reuters) - A Pandora Media, companhia norte-americana de música em formato stream, anunciou que restringiria o uso de seus serviços em aparelhos móveis a 40 horas por mês, para tentar conter o custo crescente dos royalties que paga.

A Pandora, que depende primordialmente de receita publicitária, está enfrentando dificuldade para crescer diante da feroz concorrência de rivais como a Sirius XM Radio.

O custo do royalty por faixa da Pandora subiu em mais de 25 por cento nos últimos três anos, incluindo 9 por cento em 2013, e deve crescer mais 16 por cento nos próximos dois anos, escreveu o co-fundador Tim Westergren no blog da companhia.

"Depois de estudar com atenção o padrão geral de uso dos nossos serviços, um limite de 40 horas mensais para o uso em aparelhos móveis nos permitirá administrar essa disparada de custos com o mínimo de incômodo para os ouvintes", ele disse.

A Pandora está fazendo lobby junto aos legisladores do Congresso norte-americano pela aprovação de uma lei de regulamentação das rádios de Internet, que alteraria a forma de pagamento de royalties aos artistas.

Companhias que veiculam música online em formato stream, como a Pandora, pagam taxa de licenciamento de música diferente das demais rádios.

Westergren afirmou que a decisão afetaria menos de 4 por cento dos ouvintes ativos da companhia, em base mensal, porque o ouvinte médio dedica apenas 20 horas a ouvir a Pandora.

Os ouvintes que excederem o limite de 40 horas mensais podem pagar 99 centavos de dólar para receber música de maneira irrestrita pelo restante do mês, ou assinar a Pandora One, para ouvir música sem restrição de quantidade e sem publicidade, ele escreveu.