Linx vê 2013 com vendas maiores por expansão de varejistas

sexta-feira, 1 de março de 2013 16:15 BRT
 

RIO DE JANEIRO, 1 Mar (Reuters) - A produtora de software Linx trabalha com um cenário de vendas maiores em 2013, em meio a planos de expansão de lojas de grandes redes varejistas e sem perder de vista oportunidades de novas aquisições, afirmou o presidente-executivo da companhia, Alberto Menache, nesta sexta-feira.

Em entrevista à Reuters, o executivo afirmou que a Linx teve "um bom início de ano" em termos de vendas, com o mercado de software para varejo em linha com as projeções da companhia.

"Estamos fechando contratos com novas redes, novos varejistas (...) Nosso faturamento não tem relação com o dos varejistas e sim com o número de lojas, usuários, e o uso que eles têm dos nossos sistemas", afirmou Menache, evitando comentar números específicos de desempenho para 2013.

A Linx encerrou 2012 com alta de 25 por cento na receita líquida, a 230,9 milhões .

Os planos de expansão das redes varejistas continuam com força para 2013. Nesta semana, a Lojas Renner anunciou que pretende abrir até 46 novas lojas. Em janeiro, a Cia Hering informou que prevê inaugurar 107 pontos de venda neste ano.

No início de fevereiro, a oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) da Linx movimentou 527,8 milhões de reais e grande parte dos recursos será usada em fusões e aquisições até 2016. Desde a estreia na bolsa, até o fechamento do pregão de quinta-feira, as ações da companhia acumulam valorização superior a 18 por cento.

"Temos várias aquisições no nosso plano, a gente não sabe quando vai concluí-las", disse Menache, explicando que a companhia busca empresas com seu perfil e que complementem seu portfólio e sua atuação geográfica.

Nos últimos quatro anos, a Linx fez 10 aquisições, num total de 250 milhões de reais. "O nosso histórico nessas aquisições foi muito bem sucedido. A gente conseguiu extrair muitas sinergias do ponto de vista de custo e de adição de receitas", afirmou o vice-presidente Financeiro e diretor de relações com investidores, Dennis Herszkowicz. (Por Juliana Schincariol)