Pinterest oferece nova ferramenta para começar a faturar

terça-feira, 12 de março de 2013 13:14 BRT
 

SÃO FRANCISCO, 12 Mar (Reuters) - O Pinterest, serviço de scrapbooks online, está apresentando novas ferramentas que mostrarão a empresas o número de visitantes que encaminha a seus sites, como parte dos esforços da startup para formar relacionamentos mais estreitos com outras companhias e preparar o terreno para o lançamento de serviços que gerem faturamento.

A mais recente oferta da empresa --o Pinterest Web Analytics-- oferecerá a operadores de sites informações sobre como as pessoas interagem com os "pins" originados de seus sites.

"O objetivo é realmente ajudar os sites a compreender que conteúdo atrai as pessoas no Pinterest", disse o gerente de produto do Pinterest, Cat Lee, em entrevista à Reuters.

O Pinterest permite que usuários criem quadros de recortes com imagens e fotos baseados em vários temas, por exemplo viagens, decoração ou esportes, e foi o 38o site mais visitado pelos norte-americanos em janeiro, com cerca de 30 milhões de unique visitors, de acordo com a comScore, empresa que audita a audiência da Internet.

O Pinterest por enquanto não exibe anúncios pagos em seu site, mas grupos de varejo e marcas conhecidas, como Gap e Dell, vêm usando a feramenta cada vez mais para promover seus produtos.

Oferecer dados de uso às companhias "é um passo claro na direção" de monetizar o Pinterest, disse Greg Sterling, analista sênior da Opus Research, uma companhia de pesquisa de mercado sediada em São Francisco.

"Eles não teriam como começar a cobrar pela publicidade sem oferecer alguma ferramenta que permita avaliar a eficácia do investimento", disse.

O Pinterest "está construindo as fundações para monetizar" o serviço este ano, disse o presidente-executivo da companhia, Ben Silbermann, em entrevista ao Wall Street Journal no mês passado.

Em fevereiro, a companhia obteve 200 milhões de dólares em capital de grupos de capital para empreendimentos como a Andreessen Horowitz e Bessemer Venture Partners. A transação avaliava a companhia criada três anos atrás em 2,5 bilhões de dólares.   Continuação...