CEO da Electronic Arts renuncia após não cumprir metas operacionais

segunda-feira, 18 de março de 2013 19:36 BRT
 

SAN FRANCISCO, 18 Mar (Reuters) - O presidente-executivo da Electronic Arts, John Riccitiello, renunciou de seu cargo após seis anos como chefe da distribuidora de videogames, dizendo se considerar responsável por não cumprir metas operacionais.

A empresa por trás dos jogos "Sim" e "Medal of Honor" alertou investidores nesta segunda-feira de que os resultados no atual trimestre ficarão na parte mais baixa das previsões divulgadas anteriormente, e talvez até um pouco abaixo.

Riccitiello deixará seu cargo em 30 de março, após ter visto a empresa perder quase dois terços em valor de mercado desde que se tornou CEO em abril de 2007.

A EA e concorrentes como Activision Blizzard têm visto o crescimento despencar à medida que jogadores mudam seus focos para jogos gratuitos em redes sociais ou em dispositivos móveis.

As maiores distribuidoras de jogos tentaram comprar empresas iniciantes de desenvolvimento e investiram em plataformas móveis, mas enfrentam forte concorrência de rivais como Rovio ou Zynga.

"Ficamos aquém do plano operacional interno que estabelecemos há um ano", disse Riccitiello em sua carta de renúncia enviada ao regulador norte-americano de mercados, a SEC. "Os acionistas e os funcionários da EA esperavam mais e eu sou responsável pelo não cumprimento".

Em janeiro, a Electronic Arts cortou sua previsão de lucro para 2013 após uma temporada de compras de fim de ano mais fraca do que a esperada, principalmente por vendas decepcionantes de seu título "Medal of Honor".

A empresa também disse prever uma receita no quarto trimestre encerrado em 31 de março de 1,025 bilhão a 1,125 bilhão de dólares.

O ex-presidente-executivo e presidente do Conselho da EA, Larry Probst, vai comandar a empresa até ser encontrado um novo CEO, disse a empresa.

(Por Malathi Nayak)