Verizon rejeita fusão com Vodafone, mira negócio nos EUA

quarta-feira, 3 de abril de 2013 16:16 BRT
 

Por Kate Holton e Chris Vellacott

LONDRES, 3 Abr (Reuters) - Com a perspectiva de uma aquisição completa fora da mesa por enquanto, os investidores da Vodafone mudaram o foco nesta quarta-feira para saber se o grupo britânico pode vender seu ativo de melhor desempenho, sua participação de 115 bilhões de dólares na Verizon Wireless.

As ações da Vodafone fecharam em queda de 3 por cento depois que a Verizon Communications disse no final da terça-feira que não tinha intenção de comprar a segunda maior operadora móvel do mundo, após meses de especulação.

As ações do grupo britânico subiram mais de 25 por cento desde o começo do ano, sob expectativa de que venderia sua participação de 45 por cento na Verizon Wireless e retornar dinheiro aos investidores, ou vender-se para a Verizon.

"Como disse diversas vezes, a Verizon se considera compradora da fatia de 45 por cento que a Vodafone tem na Verizon Wireless", disse a Verizon.

"Não há atualmente, entretanto, qualquer intenção de se fundir ou fazer uma oferta pela Vodafone, seja sozinha ou em conjunto".

Um dos 15 principais acionistas da Vodafone disse à Reuters que o presidente-executivo Vittorio Colao agiu bem até o momento, enfrentando demandas anteriores para vendar a participação em um negócio que cresceu ao posto de maior operadora móvel nos Estados Unidos.

Com a Vodafone recebendo agora um alto dividendo anual do negócio, o acionista acredita que o grupo está em uma posição mais forte para negociar uma saída quando for a hora certa, e sentir uma mudança de sentimento.