Nokia lança telefone com Internet por US$99 na Índia, na luta por mercado

quinta-feira, 9 de maio de 2013 09:51 BRT
 

Por Devidutta Tripathy

NOVA DÉLHI, 9 Mai (Reuters) - A Nokia está apostando que telefones de baixo custo com Internet vão ajudá-la a recuperar o terreno perdido em mercados emergentes cruciais, depois de ficar para trás na corrida mundial de smartphones.

Na quinta-feira, o presidente-executivo da Nokia, Stephen Elop, revelou um novo telefone de 99 dólares em sua linha de gama média Asha, em um lançamento na Índia, um dos mercados mais importantes em sua tentativa de reavivar a empresa finlandesa que enfrenta dificuldades.

O novo telefone oferece acesso à Internet e tela sensível ao toque, com aplicativos já instalados para sites populares de mídia social e mais recursos do que os modelos anteriores, que não tinham as funções de um smartphone completo.

Ele também anunciou uma reformulação da plataforma de software do Asha, na esperança de convencer mais desenvolvedores a produzir aplicações para telefones Asha.

Elop, contratado em 2010 para recuperar a fabricante de celulares que antes era dominante, está sob pressão. A controversa decisão de mudar para o software Windows da Microsoft ainda está para dar resultados significativos após dois anos, com os acionistas nesta semana dizendo que o executivo deveria reconsiderar a estratégia.

Embora mais pessoas estejam comprando celulares com funcionalidades de computador, a maioria dos aparelhos que a Nokia vende são telefones convencionais. Seu fracasso para lucrar com o boom de smartphones no ano passado fez com que cedesse seu reinado de 14 anos como principal fabricante de telefones do mundo para a sul-coreana Samsung.

"O mercado está se movendo inegavelmente em direção aos smartphones - embora a Índia possa estar se movendo a um ritmo mais lento do que o da China, mas ainda é o caso", disse a analista da empresa de pesquisa Canalys, Jessica Kwee, baseada em Cingapura.

Embora a Nokia tenha visto vendas vigorosas de seus smartphones Lumia com Windows, ainda tem apenas uma participação de 5 por cento em um mercado global de smartphones dominado por Samsung e Apple.