Acusado de megafurto em caixas eletrônicos de NY morreu em confronto

sexta-feira, 10 de maio de 2013 18:53 BRT
 

SANTO DOMINGO, 10 Mai (Reuters) - Um cidadão dominicano acusado de chefiar o braço nova-iorquino de uma quadrilha global de crimes cibernéticos, que roubou 45 milhões de dólares de dois bancos do Oriente Médio, foi morto durante uma tentativa de assalto no mês passado em seu país de origem, disse a polícia dominicana nesta sexta-feira.

Alberto Lajud-Pena, de 23 anos, foi morto em 27 de abril em uma casa de San Francisco de Macoris, cerca de 160 quilômetros a nordeste da capital, Santo Domingo, em um aparente confronto entre quadrilhas, segundo a polícia.

Lajud-Pena era um dos oito homens acusados por promotores de Nova York de chefiar a "filial" local de uma rede internacional que cometeu um dos maiores golpes bancários da história.

O grupo invadiu os servidores de duas empresas que processam compras com cartões em dezembro de 2012 e fevereiro de 2013. De posse dos dados de milhares de cartões de débito pré-pagos, eles conseguiram sacar em questão de horas 45 milhões de dólares em caixas eletrônicos de 27 países.

O grupo de Lajud-Pena, segundo a polícia de Nova York, retirou 2,4 milhões de dólares de quase 3.000 caixas eletrônicos da cidade em um espaço de dez horas, em fevereiro.

Os outros sete acusados, todos hispânicos, já foram presos em Yonkers, subúrbio de Nova York com grande presença de dominicanos.

(Reportagem de Manuel Jimenez)