Sony reduz metas de vendas, avalia proposta de acionista

quarta-feira, 22 de maio de 2013 10:06 BRT
 

TÓQUIO (Reuters) - A Sony cortou metas de vendas de câmeras digitais, smartphones e tablets em 13 a 17 por cento para o ano fiscal que termina em março de 2015, mas disse que há sinais encorajadores sobre uma revitalização dos negócios da divisão de eletrônicos.

A companhia reduziu meta de vendas de câmeras no ano de 2014-2015 para 1,3 trilhões de ienes (12,7 bilhões de dólares) e agora espera que as vendas de smartphones e tablets fiquem em 1,5 trilhão de ienes.

O presidente-executivo, Kazuo Hirai, também cortou a meta de margem de lucro operacional para o segmento de videogames, para 2 por cento no ano que termina em março de 2015, ante uma expectativa anterior de 8 por cento.

Hirai disse em uma coletiva de imprensa nesta quarta-feira que a Sony vai avaliar proposta de acionista para a venda de participação de até 20 por cento nos negócios de música e filmes, que incluem artistas como Adele e franquias de sucesso como "Homem Aranha".

A proposta foi feita pelo maior acionista da companhia, o fundo de hedge Third Point LLC, do bilionário Daniel Loeb.

Loeb argumenta que uma cisão parcial da Sony Entertainment liberaria caixa para ajudar a divisão de eletrônicos e poderia impulsionar o preço da ação da Sony em 60 por cento.

A "proposta é uma das que afeta uma parte importante dos negócios da Sony e a direção de nossa administração, então o Conselho da Sony tomará isso em consideração antes de responder ao senhor Loeb", disse Hirai.

 
Recepcionistas da Sony em frente ao logo da companhia na sede da empresa em Tóquio, 22 de maio de 2013. A Sony cortou metas de vendas de câmeras digitais, smartphones e tablets em 13 a 17 por cento para o ano fiscal que termina em março de 2015, mas disse que há sinais encorajadores sobre uma revitalização dos negócios da divisão de eletrônicos. 22/05/2013 REUTERS/Toru Hanai