Em Hong Kong, ex-agente da CIA pode não escapar das garras dos EUA

segunda-feira, 10 de junho de 2013 15:06 BRT
 

Por David Ingram e James Pomfret

WASHINGTON/HONG KONG, 10 Jun (Reuters) - A decisão tomada por Edward Snowden de fugir para Hong Kong antes de revelar os programas de vigilância secreta do governo norte-americano podem não poupá-lo de um processo judicial, devido a um tratado de extradição em vigor desde 1998.

Snowden, de 29 anos, ex-agente da CIA, se identificou como sendo a pessoa que entregou aos jornais The Guardian e The Washington Post documentos sigilosos mostrando como a Agência de Segurança Nacional (NSA) dos EUA obtinha dados sobre clientes de empresas norte-americanas de telefonia e Internet.

Ele contou ao Guardian que, enquanto preparava as revelações, viajou do Havaí para Hong Kong, em 20 de maio, para poder estar em um lugar onde conseguisse resistir a tentativas dos EUA de puni-lo judicialmente.

"A China continental tem de fato restrições significativas à liberdade de expressão, mas as pessoas em Hong Kong tem um longo histórico de protestar nas ruas, tornando suas opiniões conhecidas", disse Snowden em vídeo divulgado no site do Guardian.

A NSA solicitou um inquérito criminal sobre os vazamentos, e no domingo o Departamento de Justiça afirmou estar na etapa inicial da investigação.

EUA e Hong Kong assinaram um tratado de extradição em 1996, um ano antes de a então colônia britânica ser devolvida à China. Esse tratado permite a troca de suspeitos de cometerem crimes, em um processo formal que pode envolver também o governo chinês.

De acordo com o tratado, as autoridades locais podem manter Snowden detido durante até 60 dias depois que os EUA apresentarem uma solicitação, citando o possível crime cometido, enquanto Washington prepara um pedido formal de extradição.

Especialistas dizem que Snowden terá dificuldades para driblar o tratado caso o governo dos EUA decida processá-lo.   Continuação...

 
Presidente dos EUA, Barack Obama, olha programas de aprendizado digital durante visita a escola em Mooresville, na Carolina do Norte. A decisão tomada por Edward Snowden de fugir para Hong Kong antes de revelar os programas de vigilância secreta do governo norte-americano podem não poupá-lo de um processo judicial, devido a um tratado de extradição em vigor desde 1998. 06/05/2013 REUTERS/Kevin Lamarque