Rússia pode avaliar asilo a norte-americano que revelou espionagem

terça-feira, 11 de junho de 2013 15:15 BRT
 

MOSCOU (Reuters) - A Rússia pode considerar conceder asilo ao norte-americano que expôs os programas secretos de vigilância do governo dos Estados Unidos, se ele solicitar, disse um porta-voz do presidente russo, Vladimir Putin, nesta terça-feira.

O porta-voz Dmitry Peskov não chegou a dizer que Moscou aceitaria Edward Snowden, mas parlamentares pró-Kremlin manifestaram-se a favor da ideia, relembrando a rivalidade da Guerra Fria com os Estados Unidos e uma veia do sentimento antiamericano que Putin muitas vezes incentiva.

"Prometendo asilo a Snowden, Moscou toma para si a defesa de pessoas perseguidas por motivos políticos", disse Alexei Pushkov, presidente da comissão de assuntos internacionais da câmara baixa do Parlamento, no Twitter. "Haverá histeria nos Estados Unidos. Eles reconhecem isso como um direito deles sozinhos", acrescentou.

Putin e outras autoridades russas frequentemente acusam os Estados Unidos de hipocrisia, dizendo que Washington tenta impor normas de direitos humanos, liberdade e democracia em outras nações, mas não cumpre com essas obrigações internamente.

Snowden, que forneceu as informações para jornais que revelaram um amplo esquema de monitoramento telefônico e da Internet pelo governo dos EUA, fugiu para Hong Kong e disse que espera receber asilo da Islândia.

Não se tem conhecimento que ele tenha cogitado pedir asilo à Rússia, mas Peskov disse que o país está aberto a um pedido de Snowden, de acordo com o jornal russo Kommersant.

Questionado pela Reuters se a Rússia estaria inclinada a conceder asilo, o porta-voz disse: "É impossível (dizer) agora. Ninguém pediu ainda. Se ele disser: "Eu peço (asilo político), então vamos considerar."

 
Presidente russo Vladimir Putin é visto durante uma visita ao novo complexo de estúdios de um canal do canal de televisão "Russia Today" em Moscou. A Rússia pode considerar conceder asilo ao norte-americano que expôs os programas secretos de vigilância do governo dos Estados Unidos, se ele solicitar, disse um porta-voz de Putin nesta terça-feira. 11/06/2013 REUTERS/Yuri Kochetkov /Pool