Governo dos EUA fez até 5 mil pedidos de dados de clientes à Apple

segunda-feira, 17 de junho de 2013 10:15 BRT
 

(Reuters) - A Apple recebeu ao longo dos últimos seis meses de 4 mil a 5 mil pedidos de dados de clientes feitos por autoridades policiais dos Estados Unidos, relacionados a investigações criminais e assuntos de segurança nacional, informou a companhia nesta segunda-feira.

A Microsoft e o Facebook publicaram dados semelhantes na semana passada, depois de chegarem a um acordo com as autoridades de segurança nacional dos EUA sobre as divulgações.

"Pedimos ao governo dos EUA permissão para informar sobre quantos pedidos recebemos relacionados com a segurança nacional e como lidamos com eles. Fomos autorizados a compartilhar alguns desses dados", informou a Apple.

Em um comunicado, a Apple afirmou que os pedidos foram recebidos de 1o de dezembro de 2012 a 31 de maio de 2013 e que entre 9 mil e 10 mil contas ou dispositivos foram especificados nesses pedidos, feitos pelas autoridades federais, estaduais e locais dos EUA. (link.reuters.com/bar88t - em inglês)

A forma mais comum de pedido veio de autoridades policiais que investigam roubos e outros crimes, desaparecimento de crianças ou de pacientes com Alzheimer, ou que tentam evitar um suicídio, informou a empresa.

"A Apple sempre definiu como prioridade proteger os dados pessoais dos nossos clientes e nós não coletamos ou mantemos uma montanha de dados pessoais sobre os nossos clientes", disse a empresa.

A Apple informou que as conversas que ocorrem no iMessage e FaceTime são "protegidos por criptografia de ponta a ponta, para que ninguém além do emissor e receptor possam ver ou ler. A Apple não pode descriptografar os dados."