Yahoo rejeita medo que hackers explorem contas antigas

quinta-feira, 20 de junho de 2013 10:02 BRT
 

SÃO FRANCISCO, 20 Jun (Reuters) - O Yahoo minimizou no fim da quarta-feira a preocupação de que seus planos para reciclar contas inativas pudesse expor os usuários a hackers, afirmando que apenas 7 por cento dessas contas são vinculadas a contas de e-mail reais da companhia.

A empresa de internet, que anunciou na semana passada que iria liberar os IDs de usuários inativos por mais de 12 meses a fim de que outras pessoas pudessem utilizar esses nomes de registro, foi pressionada a defender o plano depois que críticos alertaram que hackers poderiam assumir as contas inativas e também a identidade de seus donos anteriores.

O Yahoo espera que o plano desperte um interesse renovado pelos seus produtos na web, como o Mail, em que usuários frequentemente preferem IDs individualizados, muitas vezes derivados de nomes comuns.

A crítica à estratégia chega no momento em que os receios sobre a segurança de informações pessoais na internet são agravados por revelações de espionagem massiva do governo norte-americano e por crimes online internacionais.

O Yahoo salientou que pôs em prática várias garantias, como a coordenação com outras grandes empresas da internet, incluindo o Google e a Amazon, para minimizar o risco de roubo de identidade.

"Posso dizer com 100 por cento de certeza que é absolutamente impossível que nada aconteça? Não. Mas nós estamos indo a extremos para garantir que nada de ruim aconteça com os nossos usuários", disse Dylan Casey, diretor sênior em plataformas de consumo do Yahoo.

Desde que a empresa anunciou seus planos no dia 12 de junho, usuários passaram a contar com um prazo de 30 dias para solicitar suas contas inativas antes de elas serem liberadas, disse o Yahoo.

(Por Alexei Oreskovic)

 
Logotipo do Yahoo é visto em frete à sede da empresa em Sunnyvale, na Califórnia. O Yahoo minimizou no fim da quarta-feira a preocupação de que seus planos para reciclar contas inativas pudesse expor os usuários a hackers, afirmando que apenas 7 por cento dessas contas são vinculadas a contas de e-mail reais da companhia. 16/04/2013 REUTERS/Robert Galbraith